19:52 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    9011
    Nos siga no

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu desculpas nesta quinta-fera (20) às empregadas domésticas por declaração feita na semana passada quando comentou sobre a alta do dólar. 

    Guedes participou hoje de uma cerimônia no Palácio do Planalto para lançamento de uma nova linha de crédito imobiliário da Caixa Econômica Federal, com taxa de juros fixa.

    No dia 13 de fevereiro, ao comentar sobre a desvalorização do real frente à moeda norte-americana, Guedes disse que, na época em que o dólar era mais baixo, havia "empregada doméstica indo pra Disneylândia, uma festa danada". Na ocasião, ele afirmou que os brasileiros deveriam viajar mais pelo país e menos ao exterior. 

    Nesta quinta-feira, ele pediu desculpas às domésticas que se ofenderam com sua declaração. Além disso, afirmou que sua avó paterna trabalhou como empregada. 

    'A mãe do meu pai foi empregada doméstica'

    "Nós, quando fazemos política econômica, estamos pensando em todos os brasileiros e particularmente nos mais humildes. E aquele modelo antigo, com os juros lá em cima, transformava os empresários e empreendedores brasileiros em rentistas. Ao invés de fazer investimento, criar emprego, rentistas. Justamente também as famílias mais humildes, empregadas domésticas, inclusive, a quem eu peço desculpa, se puder ter ofendido, dizendo que a mãe do meu pai foi empregada doméstica", disse Guedes, segundo publicado pelo jornal O Globo. 

    O ministro, no entanto, minimizou a referência às domésticas e reforçou o pedido para que a população faça turismo dentro do Brasil, argumentando que no passado era mais barato viajar ao exterior do que para dentro do país. 

    "Qual o problema de você fazer uma referência como essa? Mostrando que os preços estão empurrando a população em direções equivocadas. Um Brasil cheio de belezas naturais, e as pessoas pensando em não viajar para as praias do Nordeste, por exemplo, porque estava 50% mais caro ir para o Nordeste brasileiro do que ir para exterior", argumentou. 

    'Semeando a discórdia'

    Guedes se defendeu afirmando que suas frases são retiradas de contexto, e que tentam semear a "discórdia" contra o governo. 

    "Quem tira de contexto o que nós estamos falando está semeando discórdia, semeando divisão entre os brasileiros em um momento em que nós estamos, como disse o Pedro [Guimarães, presidente da Caixa], como disse o Roberto [Campos Neto, presidente do Banco Central] também, incluindo milhões de brasileiros no financiamento da Caixa Econômica, ao mesmo tempo em que estamos desestatizando o mercado de crédito", disse.

    Após o discurso de Guedes, Bolsonaro disse durante a cerimônia que apenas quem tem "virtude" é criticado.

    Mais:

    Guedes defende criação de 'imposto do pecado'
    'Estamos conversando com a China sobre livre comércio', diz Paulo Guedes em evento do BRICS
    Após citar AI-5, Guedes diz que democracia brasileira 'nunca foi tão forte'
    Davos: Guedes pergunta se brasileiros querem 'continuar sendo 200 milhões de trouxas'
    Substituindo Bolsonaro, Paulo Guedes também se envolve em polêmica em Davos
    Tags:
    câmbio, cotação, real, juros, Caixa Econômica Federal, governo, economia, Jair Bolsonaro, Dólar, turismo, Brasil, Paulo Guedes
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar