00:03 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    Com objetivo de imunizar 3 milhões de pessoas até 13 de março, o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo terá 42 mil postos em funcionamento pelo Brasil.

    O alvo são crianças e jovens entre cinco e 19 anos. A campanha foi lançada na última segunda-feira (10) pelo Ministério da Saúde. 

    No dia 6 de janeiro, um bebê morreu pela doença no Rio de Janeiro. Foi a primeira morte por sarampo no estado em 20 anos. 

    Após quase duas décadas praticamente livre da doença, o sarampo retornou em 2018 ao país. 

    Em 2019, 15 mortes

    Em 2019, 9% dos municípios (526) registraram 18.203 casos confirmados e 15 mortes por sarampo, sendo 14 no estado de São Paulo e uma em Pernambuco. São Paulo também registrou o maior número de casos, 16.090, 88,4% do total, em 259 municípios, seguido dos estados do Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco, Santa Catarina, Minas Gerais e Pará.

    Para evitar um surto da doença, o governo decidiu lançar a campanha de vacinação. Apesar de disseminação rápida, o sarampo é altamente controlável se a população for imunizada. 

    O ministério já enviou 3,9 milhões de doses da vacina tríplice viral para os estado, 9% a mais que o solicitado.

    Além disso, um dos objetivos da iniciativa é conscientizar os pais sobre os riscos de não vacinar seus filhos.

    "É importante que as pessoas entendam as consequências de não se vacinar contra o sarampo, que é um vírus de alta transmissibilidade, podendo uma pessoa com a doença contaminar mais 18 indivíduos, e letal, principalmente em crianças. Por isso, os responsáveis devem ficar atentos e levar suas crianças para vacinar", alertou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, segundo publicado pela agência EBC. 

    Sintomas

    Os principais sintomas do sarampo são febre acompanhada de tosse; irritação nos olhos; nariz escorrendo ou entupido; e mal-estar intenso.

    Em torno de três a cinco dias podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de cinco anos de idade.

    Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina.

    Mais:

    Brasileiros de Wuhan devem ser isolados também entre si, diz infectologista
    Na luta pelo fim do câncer de colo de útero, Portugal vai vacinar meninos contra HPV
    'Grupos antivacinas tinham que ser presos', diz Drauzio Varella
    Tags:
    campanha, governo, sarampo, vacinação, vacina, saúde, Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar