17:21 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    181919
    Nos siga no

    Ao ser questionado sobre nota do Greenpeace criticando o Conselho da Amazônia e a política ambiental do governo, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (13) que a ONG é um "lixo" e uma "porcaria".

    "Quem é Greenpeace? Quem é essa porcaria chamada Greenpeace? Isso é um lixo. Outra pergunta", afirmou Bolsonaro ao sair do Palácio do Alvorada, segundo matéria publicada pelo portal UOL. 

    Na terça-feira, o presidente assinou decreto transferindo a coordenação do Conselho Nacional da Amazônia Legal do Ministério do Meio Ambiente para o vice-presidente Hamilton Mourão. Além disso, excluiu os governadores do órgão, que agora é formado apenas por representantes do governo federal. 

    A medida foi criticada pelos governadores e por ambientalistas. Por meio de nota, o Greenpeace disse que "o conselho não tem plano, meta ou orçamento".

    Conselho 'não anulará política anti-ambiental do governo'

    "Ele não anulará a política anti-ambiental do governo e não tem por finalidade combater o desmatamento ou o crime ambiental. Os governadores, indígenas e a sociedade civil não fazem parte da sua composição", acrescentou a organização. 

    Segundo o Planalto, o objetivo do Conselho é coordenar e acompanhar a implementação das políticas públicas relacionadas ao território da Amazônia Legal. 

    Na porta do Alvorada, Bolsonaro rebateu as críticas às mudanças no órgão. 

    'Sabe o que vai resolver? Nada'

    "Se você quiser que eu bote governadores, secretários de grandes cidades, vai ter 200 caras. Sabe o que vai resolver? Nada. Nada", afirmou. 

    O presidente garantiu que as decisões sobre a Amazônia serão tomadas ouvindo os governadores da região. 

    "Tem bastante ministros. Nós não vamos tomar decisões sobre Estados da Amazônia sem conversar com governador, com a bancada do Estado. Se botar muita gente é passagem aérea, hospedagem, uma despesa enorme, não resolve nada", argumentou. 

    A composição anterior do conselho, estipulada em um decreto de 1995, incluía os governadores da Amazônia Legal. 

    Essa não é a primeira vez que Bolsonaro critica ONGs que atuam na Amazônia. Recentemente, ele disse que organizações ambientais eram responsáveis por queimadas na floresta, que vem apresentando altas de incêndios e desmatamento. 

    Mais:

    Após novo recorde na Amazônia, analista alerta: 'Assistiremos a desmatamento onde nunca tivemos'
    Brasil autoriza uso da Força Nacional para combater o desmatamento na Amazônia
    Bolsonaro exclui participação de ONGs e sociedade do Fundo Nacional do Meio Ambiente
    Triste recorde: desmatamento em janeiro na Amazônia atinge marca histórica sob Bolsonaro
    Tags:
    Greenpeace, meio ambiente, estados, governadores, floresta, desmatamento, ONG, Amazônia, governo, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar