14:51 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1569
    Nos siga no

    O miliciano Adriano Magalhães de Nóbrega, investigado por envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco, morreu na manhã deste domingo em confronto com a polícia.

    Apontado como o chefe do Escritório do Crime, o miliciano entrou em confronto com policiais militares, na manhã deste domingo na zona rural da Bahia, na cidade de Esplanada, informou o portal G1. Um mandado de prisão foi expedido contra ele ainda em janeiro de 2019.

    A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) afirmou por nota que Adriano era suspeito de envolvimento no assassinato de Marielle Franco e que o ex-PM foi localizado por equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Litoral Norte e da Superintendência de Inteligência (SI) da Secretaria da Segurança Pública em um imóvel.

    Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia, no momento do cumprimento do mandado de prisão o suspeito resistiu com disparos de arma de fogo e terminou ferido.  Ele chegou a ser socorrido e levado para um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos.

    O miliciano estava foragido há mais de um ano. Ex-capitão da tropa de elite da PM, Adriano foi preso duas vezes suspeito de ligações com a máfia de caça-níqueis.
    Adriano chegou a ser homenageado pelo hoje senador e então deputado estadual Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

    Tags:
    milícia, Brasil, Bahia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar