18:56 06 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    993
    Nos siga no

    O desmatamento na Floresta Amazônica no Brasil mais que dobrou em janeiro em comparação com o ano anterior, segundo dados oficiais publicados nesta sexta-feira (7).

    Foram desmatados mais de 280 quilômetros quadrados, um aumento de 108%. Foi a maior área desmatada no mês de janeiro desde 2015, quando esses dados começaram a ser coletados, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

    Os dados foram coletados pelo sistema DETER do INPE que, via satélite, monitora o desmatamento em tempo real.

    Em comparação, 136 quilômetros quadrados foram desmatados em janeiro de 2019, 183 quilômetros quadrados em 2018 e 58 quilômetros quadrados em 2017.

    Dados do INPE publicados em meados de janeiro descobriram que o desmatamento na Amazônia no norte do Brasil havia subido 85% em 2019, desmatando 9.166 quilômetros quadrados - o número mais alto em pelo menos cinco anos - contra 4.946 quilômetros quadrados desmatados em 2018.

    O aumento acentuado se sobrepôs ao primeiro ano de mandato do presidente Jair Bolsonaro, um cético das mudanças climáticas que facilitou as restrições à exploração das vastas riquezas da Amazônia.

    Desmatamento voltou a crescer na Amazônia nos dois últimos anos
    Wilson dias/Agência Brasil/Fotos Públicas
    Desmatamento voltou a crescer na Amazônia nos dois últimos anos

    Bolsonaro ganhou as manchetes em agosto, quando tentou minimizar o ressurgimento de incêndios florestais que chocaram o mundo.

    Em 2 de agosto, o então presidente do INPE, Ricardo Galvão, foi demitido pelo governo Bolsonaro, que o acusou de exagerar a extensão do desmatamento.

    Na quarta-feira, Bolsonaro divulgou um plano abrangente para a Floresta Amazônica que abriria terras indígenas para projetos de mineração, agricultura e energia hidrelétrica.

    Muitas ONGs disseram que isso aumentaria ainda mais o desmatamento.

    O projeto, que ainda precisa ser aprovado pelo Congresso, é um "sonho" para Bolsonaro, mas um "pesadelo" para ambientalistas e líderes tribais.

    Mais:

    Área com alertas de desmatamento na Amazônia aumenta 85,3% em 2019
    'Greta Thunberg brasileira' pede ajuda para proteger a Amazônia e os índios
    Bolsonaro anuncia que vai criar Conselho da Amazônia e de Força Nacional Ambiental
    Tags:
    terras indígenas, povos indígenas, indígenas, índios, queimadas, Jair Bolsonaro, meio ambiente, mineração, desmatamento, Fundação Nacional do Índio (FUNAI), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Floresta Amazônica, Fundo Amazônia, Amazônia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar