20:47 30 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    351
    Nos siga no

    O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, homologou um acordo de delação premiada do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

    O acordo de delação premiada foi firmado entre Cabral e a Polícia Federal. A decisão do STF, porém, contraria recomendação da Procuradoria Geral da República.

    A delação do ex-governador carioca inclui ministros do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), políticos e magistrados, conforme publicou o jornal Folha de São Paulo.

    Após encarar resistência do Ministério Público Federal, Cabral recorreu à Polícia Federal em busca do acordo com o objetivo de tentar obter o direito de deixar a prisão.

    O ex-governador do Rio está preso há três anos sob 13 condenações que acumulam 282 anos de pena. Cabral ainda segue sob diversas ações penais. Réu confesso, Cabral foi condenado por crimes de organização criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro.

    Mais:

    Justiça do RJ autoriza bloqueio de R$ 196 milhões de Eike Batista e Sérgio Cabral
    Gilmar Mendes manda soltar Adriana Ancelmo – esposa do ex-governador Sérgio Cabral
    Sérgio Cabral foi condenado a 14 anos de prisão
    Tags:
    Procuradoria Geral da República, Folha de São Paulo, Ministério Público Federal, Rio de Janeiro, Edson Fachin, Supremo Tribunal Federal, Sérgio Cabral
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar