03:19 17 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    351
    Nos siga no

    Moradores do bairro de Paquetá realizaram na manhã desta quarta-feira (29) um protesto na Praça XV contra a mudança na grade de horários das barcas, que restringiu o acesso dos moradores ao Centro do Rio.

    Em manifestação realizada na manhã de quarta-feira (29), artistas, comerciantes e moradores da ilha realizaram um protesto intitulado "Paquetá convida Witzel para café da manhã na praça XV", exigindo explicações do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, por ter declarado que os horários das barcas que realizam o trajeto Paquetá-Praça XV iriam ser mantidos.

    Após o governador afirmar que os horários iriam ser mantidos, a concessionária CCR Barcas, que administra o transporte hidroviário no Rio, negou a informação. De acordo com relatos dos moradores, no dia seguinte à declaração de Witzel, muitas pessoas que dependem do transporte no seu dia-a-dia foram prejudicadas.

    "Teve gente que foi trabalhar no sábado contando com o horário normal da sua vida, chegou lá e não tinha barca. Teve gente que foi estudar no sábado, chegou lá e não tinha barca, porque os horários já tinham sido modificados. Porque a grade perversa, a grade absurda, onde a gente perde mais de 50% das barcas do final de semana e quase 30% dos horários durante a semana, foi implementada, a grade foi implementada", afirmou a moradora da ilha, Conceição Campos, durante o ato.

    Manifestação dos moradores de Paquetá contra cortes nos horários das barcas
    © Sputnik / Serguei Monin
    Manifestação dos moradores de Paquetá contra cortes nos horários das barcas
    O Sr. José Batista, que trabalha como charreteiro na ilha de Paquetá há cerca de 40 anos, disse à Sputnik Brasil que o turismo no bairro caiu muito com a alteração na grade horários. 

    "Paquetá está ficando completamente abandonada, porque os turistas quando chegam em Paquetá, o pouco turista que vai pra Paquetá se preocupa muito com a volta [...] Do jeito que está indo, Paquetá vai ficar uma cidade-fantasma. Porque agora ainda tem uns dias de férias, depois do carnaval Paquetá vai ficar esquecida, então estamos lutando para que as barcas voltem aos horários normais, porque se a barca funcionar no horário normal, a gente vai ter sempre a clientela no dia-a-dia", completou.

    De acordo com o novo cronograma, são sete viagens diárias a menos, enquanto nos fins de semana e feriados, a rota sofrerá um corte de 11 travessias.

    A CCR Barcas, por sua vez, alega que a alteração na grade visa reverter um prejuízo de R$ 7 milhões no serviço.

    Mais:

    Abastecimento de água do Rio de Janeiro deixa moradores em alerta
    Witzel faz campanha eleitoral e não tem poder para pedir sanções na ONU, dizem especialistas
    Witzel atribui à 'política combativa' recorde de letalidade policial no Rio
    Tags:
    Wilson Witzel, transporte, barco, Brasil, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar