00:50 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    827
    Nos siga no

    O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta segunda-feira a fusão da Boeing e da Embraer.

    Segundo o Cade, as empresas não atuam nos mesmos mercados, por isso não há risco de problemas concorrenciais na aquisição, informou Agência Brasil.

    A operação analisada pelo Cade prevê duas transações. A aquisição pela Boeing de 80% do capital de aviação comercial da Embraer, que engloba a produção de aeronaves regionais e comerciais de grande porte, bem como a criação de uma joint venture entre a Boeing e a Embraer voltada para a produção da aeronave de transporte militar KC-390, com participações de 49% e 51%, respectivamente.

    Os acionistas da empresa brasileira aprovaram a transação ainda no ano passado, por 96,8% dos votos válidos.

    Segundo a Embraer, a transação avalia 100% das operações de aeronaves comerciais da empresa em US$ 5,26 bilhões e contempla um valor de US$ 4,2 bilhões pela participação de 80% da Boeing na joint venture.

    Os negócios de defesa e jatos executivos e as operações de serviços da empresa associados a esses produtos permanecerão como uma empresa independente e de capital aberto.

    Para Cade, a operação deve resultar em benefícios para a Embraer. Para a autarquia, a divisão que permanece na Embraer contará com maior cooperação tecnológica e comercial da Boeing, e os investimentos da divisão comercial, que tem forte concorrência com a Airbus, ficarão a cargo da Boeing.

    Tags:
    Embraer, CADE, Boeing
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar