07:48 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    29827
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro lidera as intenções de voto para as eleições presidenciais de 2022, enquanto o ex-mandatário Luiz Inácio Lula da Silva aparece em segundo lugar, de acordo com uma pesquisa publicada nesta quarta-feira pela Confederação Nacional de Transporte (CNT).

    Quando perguntados sobre em quem votariam se as eleições fossem hoje, as respostas dos entrevistados produziram o seguinte resultado: "Jair Bolsonaro, 29,1%; Lula, 17%; Ciro Gomes, 3,5%; Sérgio Moro, 2,4%; Fernando Haddad, 2,3%", afirmou a CNT em comunicado.

    Há também um alto número de indecisos (30,2%), enquanto 5% optariam por outros candidatos e 10,5% votariam em branco ou nulo.

    As respostas foram espontâneas, ou seja, não foi sugerida uma lista de possíveis candidatos.

    Da mesma forma, neste momento, o ex-presidente Lula não poderia ser candidato, pois, embora tenha liberdade, uma sentença que anula seus direitos políticos continua pesando contra ele. Para a participação do petista, o Supremo Tribunal Federal (STF) teria de anular a sentença.

    Outro dos nomes que aparece na lista, Moro, é o atual ministro da Justiça de Bolsonaro e, embora ele tenha repetidamente dito que não quer concorrer à Presidência, especula-se que ele possa se apresentar como vice em uma eventual chapa de Bolsonaro.

    A pesquisa foi conduzida pelo instituto de opinião MDA, a pedido da CNT, com base em 2.002 entrevistas pessoais em 137 municípios do país, entre 15 e 18 de janeiro.

    Mais:

    PF indicia Lula e mais 3 por doações feitas pela Odebrecht a instituto
    Polarização Lula x Bolsonaro deverá se manter nas eleições de 2020
    Lula critica Bolsonaro na crise Irã-EUA e afirma: Washington precisa sempre eleger inimigo
    Tags:
    STF, Fernando Haddad, Ciro Gomes, Sergio Moro, política, eleições, pesquisa, CNT/MDA, Luiz Inácio Lula da Silva, Jair Bolsonaro, reeleição, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar