15:30 19 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    110
    Nos siga no

    Uma nota técnica redigida por professores de diversos departamentos e institutos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) apontou para uma real ameaça à segurança hídrica da região metropolitana do Rio de Janeiro.

    O estudo apontou que o problema da água é resultado do lançamento de esgoto em afluentes do Rio Guandu, informou Agência Brasil.

    A água do Guandu, coletada pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae), tem apresentado há dias uma coloração diferente e um odor forte.

    Segundo a Cedae, a água estaria apta para o consumo e teria sido resultado da presença de geosmina, uma substância produzida por algas e que provocou o gosto e o cheiro de terra na água distribuída à população.

    Já a nota técnica da UFRJ afirma que o atual problema com a água no Rio é resultado da falta de tratamento de esgoto sanitário nas áreas urbanas.

    "Esgotos sanitários em estado bruto, ou seja, desprovidos de qualquer tratamento, são drenados pelos rios dos Poços, Queimados e Ipiranga, todos afluentes do Rio Guandu, a menos de 50 metros da barragem principal e da estrutura de água só sistema produtor da Cedae", informa a nota.

    O relatório alerta para degradação ambiental nos mananciais utilizados para abastecimento público, o que compromete a qualidade da água, dificulta o tratamento e pode colocar em risco a saúde pública.

    "Não atender a essas considerações propicia um cenário que piora a segurança da água, além de ser socialmente injusto, pois impõe um gasto extra para o consumidor que deveria ser atendido de forma adequada pela rede de distribuição", destaca o documento dos acadêmicos.
    Tags:
    Brasil, Rio de Janeiro, Cedae
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar