21:17 01 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    10522
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro, ao ler a Constituição Federal em transmissão ao vivo na qual apareceu assistindo discurso de Donald Trump, citou trecho que fala em "repúdio ao terrorismo", mas cortou o resto da frase, que fala em "racismo". 

    O chefe de Estado leu, ao final de sua live, partes do Artigo 4 da Carta, que diz: "A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios". Bolsonaro escolheu os Incisos VI e VIII para citar. O primeiro fala em "defesa da paz". O segundo, em "repúdio ao terrorismo e ao racismo". Ao ler o Inciso VIII, no entanto, o presidente omitiu o final da frase. 

    Bolsonaro fez transmissão ao vivo no Facebook na qual ele assiste o discurso, também ao vivo, do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre a situação no Oriente Médio

    Sentado em um sofá, Bolsonaro apareceu vendo a transmissão da emissora GloboNews do pronunciamento de Trump para comentar o ataque do Irã contra a base norte-americana de Ain Al-Asad, localizada no Iraque. 

    Em transmissão ao vivo no Facebook, Bolsonaro assiste pronunciamento de Trump
    Reprodução Internet
    Em transmissão ao vivo no Facebook, Bolsonaro assiste pronunciamento de Trump

    Na maior parte da live o presidente apenas assiste à televisão. Em determinado momento, ele coloca os óculos (que depois tiraria) e alguém entrega a ele um exemplar da Constituição, que Bolsonaro folheia. Em seguida, pede "uma caneta colorida amarela" e depois faz marcações no livro, gesto que repete minutos depois. 

    Quando Trump menciona o "tolo acordo nuclear assinado em 2015", na tradução simultânea feita pela emissora, o presidente olha para frente e dá um sorriso irônico. 

    Pouco após a metade do vídeo, uma pessoa de terno e gravata surge na tela e Bolsonaro fala algo em seu ouvido. O funcionário ainda aparece mais duas vezes recebendo orientações do presidente. 

    Presidente só fala ao final da transmissão

    Bolsonaro só começa a discursar aos 8m40s da transmissão, quando se vira para a câmera, após o mesmo funcionário ir até o lado da televisão e diminuir o volume do aparelho. 

    "Muitos acham que o Brasil não deve se omitir aos acontecimentos. Queria dizer apenas uma coisa: o senhor Luis Inácio Lula da Silva, enquanto presidente da República, ele esteve no Irã, e lá defendeu que aquele regime pudesse enriquecer urânio acima de 20%, que seria para fins pacíficos", disse ele. 

    Bolsonaro estica então o braço para pegar os óculos novamente, segurando-os nas mãos.

    "Nós temos que seguir as nossas leis, nós não podemos extrapolar, mas acredito que a verdade tem que fazer parte de nosso dia a dia, porque nós queremos paz no mundo. Repito. O senhor Lula, enquanto presidente, esteve no Irã e lá defendeu naquela época, junto ao senhor Ahmadinejad [Bolsonaro pronunciou de forma errada o nome do ex-presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad], que aquele país enriquecesse urânio acima de 20%, que era para fins pacíficos", afirmou. 

    Nesse instante, ele finalmente coloca os óculos no rosto, pega a Constituição e cita o Artigo 4 da Carta. "A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios: a defesa da paz e o repúdio ao terrorismo", leu Bolsonaro. 

    Ao final, ele aproxima o livro da dela, sendo possível ver as marcações feitas por ele e o trecho cortado do Inciso VIII, que fala em "repúdio ao terrorismo e ao racismo".

    Mais:

    A favor dos EUA e contra Irã, Netanyahu ameaça devastar quem atacar Israel
    Irã anuncia que não entregará caixas-pretas de avião Boeing aos Estados Unidos
    VÍDEO mostra lançamento de mísseis do Irã contra bases usadas pelos EUA no Iraque
    Tags:
    Donald Trump, EUA, oriente médio, terrorismo, racismo, urânio, lula, Irã, Brasil, constituição, Constituinte, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar