18:07 20 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    2476
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro está reavaliando sua ida ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, evento que ocorrerá entre os dias 21 e 24 deste mês.

    A viagem, que estava praticamente confirmada, passou a ser dúvida em meio ao aumento da tensão no Oriente Médio.

    "Estamos discutindo isso aí. Existe a possibilidade de não ir. Não vou entrar em detalhes", disse Bolsonaro, citado pelo jornal O Globo.

    Bolsonaro disse que o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e Polícia Federal fazem o monitoramento dos riscos.

    "O mundo tem seus problemas, questão de segurança. Pode ser, de acordo com o que acontecer [no Oriente Médio] até lá, a gente acompanha, geralmente via GSI [Gabinete de Segurança Institucional], via Abin [Agência Brasileira de Inteligência] e até via Polícia Federal, e outras fontes, o que acontece no mundo", afirmou a jornalistas após uma reunião no Ministério das Minas e Energia, em Brasília, segundo a Agência Brasil.

    Até o momento, o planejamento da viagem prevê saída de Brasília no dia 20 e participação no Fórum Econômico Mundial no dia 22. Bolsonaro participou do evento no ano passado, em sua primeira viagem internacional após assumir o cargo.

    Depois de ir a Davos, Bolsonaro seguiria diretamente para a Índia. A viagem para o país está mantida mesmo que o presidente brasileiro desista de ir ao Fórum Ecônomico Mundial.

    Mais:

    'Bolsonaro ainda está preso na campanha', diz cientista político sobre discurso em Davos
    'Não houve nenhuma decisão de deixar o Iraque', diz secretário de Defesa dos EUA
    Aliados dos EUA foram mais 'prudentes' que Brasil em seu alinhamento com Washington, diz analista
    Tags:
    Fórum Econômico Mundial em Davos, Fórum Davos, Davos, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar