14:56 22 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    381
    Nos siga no

    Com disputa comercial entre os principais parceiros, economia com dificuldades e ameaças tarifárias, a balança comercial brasileira em 2019 fechou com um déficit de 2,2 bilhões de dólares.

    O Banco Central divulgou nesta sexta-feira (20) as estatísticas das contas externas brasileiras, constatando que o déficit em transações correntes totalizou 2,2 bilhões milhões de dólares. Este índice no mesmo período do ano passado foi de 1,3 bilhão de dólares.

    Ao comentar se a desvalorização do real contribuiu para o resultado da balança, a economista e coordenadora da Graduação em Economia do Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa), Juliana Inhasz, disse à Sputnik Brasil que "quando a gente percebe o real se desvalorizando frente ao dólar, é quando a gente começa a perceber esses efeitos de déficit se acentuando".

    "O que isso significa? Que aquilo que a gente vende pra fora vai pra fora valendo menos, e aquilo que a gente compra entra no Brasil custando mais caro. Então é óbvio que existe sim esse peso, e isso tem que ser considerado.

    De acordo com ela, do ponto de vista histórico, o Brasil acumula estes saldos negativos há um bom tempo, tendo vários períodos em que esses saldos em conta corrente são negativos.

    ​"É óbvio que existe um valor maior agora que se acentuou por conta desse efeito do dólar e taxa de câmbio causam agora, mas a gente não pode esquecer que o Brasil já tem esse perfil há muito tempo. Se acentua agora esse movimento, mas o Brasil é historicamente, especialmente nos últimos dois anos um país que apresenta déficits em transações correntes", argumentou.

    Efeitos da guerra comercial entre EUA e China

    Ao comentar se a guerra comercial entre EUA e China influenciou o resultado da balança comercial brasileira, a economista Juliana Inhazs disse que o Brasil "sofreu um pouco desse impacto, até porque o Brasil ficou um pouco na mira dessa guerra comercial".

    "Em alguns momentos de maneira direta, porque o Brasil foi alvo de críticas pelo presidente Donald Trump [...] mas indiretamente a gente ficou no meio dessa guerra comercial, porque o Brasil depende tanto de mercadorias que vêm desses dois países, quanto envia mercadorias pra esses dois países", disse a especialista.

    "De uma forma ou de outra, essa guerra comercial, criando uma instabilidade maior dentro das relações comerciais entre EUA e China, acabou tornando o comércio internacional muito mais instável, as incertezas aumentaram", completou.

    Mais:

    Alta do dólar poderá ter efeito 'muito grave' na alimentação do brasileiro, diz economista
    Juros e cenário regional explicam fuga de dólares do Brasil, diz economista
    Bancos centrais aceleram redução do dólar e preço do ouro dispara, diz Goldman Sachs
    Tags:
    Brasil, balança comercial, real, Dólar, economia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar