19:27 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Serio Moro, e o presidente Jair Bolsonaro durante evento em Brasília em 9 de agosto de 2019.

    Moro: pode haver corrupção no governo, mas Bolsonaro é 'íntegro' e passado era pior

    © AP Photo / Eraldo Peres
    Brasil
    URL curta
    816
    Nos siga no

    O ministro da Justiça, Sergio Moro, afirmou nesta terça-feira (3) que podem surgir casos de corrupção no governo, mas no passado havia "esquemas incrustados na administração" e Jair Bolsonaro é uma "pessoa muito íntegra".

    Moro participou de um debate sobre combate à corrupção, em Brasília, promovido pela Controladoria-Geral da União (CGU). "O presidente Bolsonaro é uma pessoa muito íntegra, todo mundo que conhece atesta isso", disse ele no evento, segundo publicado pelo jornal O Globo. 

    Em seguida, admitiu que não é improvável surgirem casos de corrupção no governo, mas comparou a situação atual com o passado, quando, segundo ele, havia "esquemas sistemáticos de suborno".

    'Algo mudou nesse governo'

    "Vamos fazer um paralelo com o que a gente tinha no passado, esquemas sistemáticos de suborno e de corrupção incrustados na administração pública. Não dá para ter um código de ética da administração pública e ao mesmo tempo ter esse comportamento. Então algo mudou nesse governo federal, acho que as lideranças estão dando esse exemplo", sustentou. 

    O ministro disse ainda que implementou uma campanha interna e medidas para estimular a integridade dos servidores, como a digitalização dos serviços do governo. Além disso, cobrou bons exemplos dos líderes do governo. 

    "Não adianta nada eu cobrar do meu servidor, cobrar dos órgãos do ministério e ao mesmo tempo a liderança dá um mau exemplo", afirmou. 

    Também participaram do fórum o ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, que criticou as regras sobre acordos de leniência. Segundo o juiz, existe dificuldade em declarar que uma empresa está cumprindo com o prometido e poder retornar ao mercado.

    Bolsonaro abriu o evento. Durante o fórum, ele assinou decreto protegendo a identidade de pessoas que denunciam casos de corrupção e irregularidades no governo. 

    Moro é acusado de defender incondicionalmente o presidente e de ter sido um juiz parcial, o que seria comprovado pelo vazamento das conversas entre ele e procurados da Lava Jato. 

    Mais:

    Bolsonaro poderia acabar com democracia brasileira?
    Após citar AI-5, Guedes diz que democracia brasileira 'nunca foi tão forte'
    Sítio de Atibaia: defesa de Lula recorre após condenação de 17 anos de prisão
    MST vive 'espera' na era Bolsonaro: 'Não é o momento de confrontar o proprietário'
    Brasil precisa combater corrupção em longo prazo para entrar na OCDE, diz especialista
    Tags:
    justiça, governo, política, corrupção, Brasília, CGU, Sergio Moro, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar