17:52 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Estudantes fazem prova da primeira fase da Fuvest 2018, São Paulo, 26 de novembro de 2017

    E o PT? Nota baixa do Brasil no Pisa faz bolsonaristas buscarem culpado

    © Folhapress / Ronaldo Silva/Futura Press/Folhapress
    Brasil
    URL curta
    Por
    839
    Nos siga no

    A classificação do ranking mundial de educação em leitura, matemática e ciências tem o Brasil estagnado entre os 20 piores. O desempenho não agradou brasileiros que buscam um culpado.

    Coordenado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) avaliou o desempenho de alunos de 15 anos de 79 países em matemática, ciências e leitura.

    Realizado a cada três anos, o Pisa de 2018 trouxe um Brasil com notas um pouco melhores, mas não ao ponto de serem consideradas relevantes. Neste ano, a principal área avaliada foi a leitura, que teve o Brasil em 54º lugar entre 79 países participantes.

    Posicionado entre os 20 piores resultados, o Brasil se mostra estagnado na educação. Já na web, bolsonaristas tentam achar culpado para a nota baixa dos brasileiros.

    A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) lamentou o "resultado catastrófico do Brasil", e não se esqueceu de pôr uma hashtag no fim do tweet, dizendo que "O PT destruiu a Educação".

    ​Arthur Weintraub, que é irmão do ministro da Educação do Brasil Abraham Weintraub, tentou mostrar que a culpa não é do governo Bolsonaro.

    ​O secretário de Direitos Humanos da Procuradoria Geral, Aílton Benedito, jogou a culpa no "Método Paulo Freire de fabricação de analfabetos".

    ​O escritor Xico Graziano escreveu que apenas 2% dos brasileiros sabem distinguir fato de opinião.

    ​Quanto à distinção de "fato e opinião", o jornalista Mario Sabino escreveu: "Lula é corrupto. É um fato, não opinião."

    ​Deixando o PT, Paulo Freire e Lula um pouco de lado, há quem acredite que a saída do problema possa ser encontrada por outro caminho ao invés de jogar culpa em alguém.

    ​Pisa de 2018 para Brasil

    No total, 10.691 estudantes brasileiros de 15 anos participaram do exame, aplicado em 638 escolas. Nas questões de leitura, os brasileiros tiveram um desempenho de 413 pontos, 6 pontos a mais do que no exame anterior – 407 pontos. Já nas questões de matemática, receberam sete pontos a mais (de 377 para 384), e nas de ciências – três pontos a mais (de 401 para 404).

    As meninas brasileiras conseguiram pontuação melhor em leitura do que os meninos, que atingiram notas melhores em matemática. As notas em ciências não apresentaram uma diferença significativa entre meninas e meninos.

    Bolsonaro e Pisa

    Em março de 2019, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, reclamou que o Brasil investe muito em educação, e que o investimento não estaria trazendo melhorias no Pisa.

    Mais:

    Em meio a caos na Educação, professor da UFRJ critica falta de diálogo por parte do governo
    Bolsonaro avalia retorno do ensino de educação moral e cívica
    Pedir para que alunos filmem professores é medida de regime totalitário, diz ex-ministro da Educação
    Tags:
    Ministério da Educação, Programa Internacional de Avaliação (PISA)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar