19:41 19 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    163
    Nos siga no

    O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) encerrou nesta sexta-feira (29) o período de cinco dias seguidos de testes públicos para confirmar a segurança do processo de votação das urnas eletrônicas que serão utilizadas nas eleições municipais de 2020.

    O teste foi iniciado nesta segunda-feira (25) e reuniu vinte e cinco investigadores de diversos locais do país, entre os quais policiais federais, acadêmicos, estudantes e profissionais da tecnologia.

    Durante o período de testes, o TSE abriu parte dos 30 mecanismos de segurança do equipamento para que os peritos pudessem violar o sistema. Dessa forma, segundo o tribunal, os especialistas conseguiram alterar informações secundárias, mas os dados sobre os eleitores e os candidatos permaneceram inviolados.

    Segundo o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, as falhas detectadas não alteram a segurança do processo eleitoral.

    "A urna tem 30 barreiras digitais. Para o teste, o TSE retira essas barreiras, dá acesso a informações, algoritmos. Eles têm facilidades para avançar. Encontraram fragilidades, mas não existe nenhum risco. Mesmo assim, vamos trabalhar para corrigir esses pontos e fortalecer a segurança da urna", afirmou o secretário, citado pelo portal G1.

    Essa foi a quinta vez que o TSE realizou os testes, e em nas edições anteriores os especialistas encontraram fragilidades que foram corrigidas posteriormente.

    Mais:

    TSE lacra códigos-fonte dos programas usados na urna eletrônica
    Crise na Bolívia mostra necessidade de voto impresso, diz Bolsonaro
    TSE inicia testes de segurança das urnas eletrônicas para as eleições brasileiras de 2020
    Tags:
    Brasil, eleições, segurança, urnas eletrônicas, urnas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar