23:50 04 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    11ª Cúpula do BRICS no Brasil (20)
    6340
    Nos siga no

    A declaração conjunta de chefes de Estado na 11ª cúpula do BRICS defende medidas de combate às mudanças climáticas e advoga o livre comércio, contrariando políticas do presidente norte-americano, Donald Trump, reportou mídia alemã.

    Os líderes do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul defendem bandeiras contrárias às de Donald Trump durante encontro em Brasília, notou o jornal Frankfurter Allgemeine. Dentre os temas mais polêmicos estão o clima, o papel das organizações internacionais e o livre comércio.

    "É essencial que todos os membros da Organização Mundial do Comércio [OMC] evitem medidas unilaterais e protecionistas, que são contrárias ao espírito e às regras da OMC", dita a declaração.

    A declaração retomou o pleito dos países emergentes de reforma nas principais instituições de governança global, como a OMC e o Fundo Monetário Internacional (FMI) e pede reforma "abrangente" do Conselho de Segurança da ONU.

    Líderes do BRICS se reúnem com empresários em Brasília
    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Líderes do BRICS se reúnem com empresários em Brasília

    A administração Trump tem tomado medidas consideradas protecionistas no âmbito do comércio, impondo tarifas comerciais não só a países como a China, mas também a produtos oriundos de países da União Europeia.

    De acordo com o presidente da China, Xi Jinping, medidas protecionistas ameaçam os fluxos internacionais de comércio e investimentos e podem levar à diminuição drástica na atividade econômica mundial.

    Presidente Donald Trump durante reunião com o presidente italiano Sergio Mattarella, na Casa Branca em 16 de outubro de 2019
    © AP Photo / Evan Vucci
    Presidente Donald Trump durante reunião com o presidente italiano Sergio Mattarella, na Casa Branca em 16 de outubro de 2019

    A declaração também defende em uníssono o Acordo de Paris sobre o Clima, do qual os EUA se retiraram recentemente. A administração Trump é cética em relação à veracidade do fenômeno e revogou medidas nacionais e internacionais de combate às mudanças do clima.

    Corrida armamentista no espaço

    Outro ponto que contraria a política norte-americana é a rejeição por parte do BRICS da militarização do espaço, que poderia se materializar no caso de os EUA saírem do Tratado do Espaço Sideral de 1967.

    "Expressamos nossa séria preocupação com a possibilidade de uma corrida armamentista no espaço e reafirmamos a necessidade de realizar atividades de exploração e usos pacíficos do espaço", acordaram os líderes do bloco econômico.

    A 11ª cúpula do BRICS foi encerrada na última quinta-feira (14), em Brasília, e contou com a participação dos chefes de Estado dos cinco países-membros. Os países do BRICS, juntos, representam 23% da economia mundial e 18% dos fluxos de comércio globais, além de 42% da população.

    Tema:
    11ª Cúpula do BRICS no Brasil (20)

    Mais:

    Putin defende que BRICS usem mais rublos em transações financeiras entre países do bloco
    Bolsonaro fala em 'desequilíbrio' que prejudica o Brasil no Banco do BRICS
    Não há nenhum desinteresse do Brasil em relação à Rússia, diz Putin ao final do BRICS
    Tags:
    Donald Trump, África do Sul, China, Índia, Brasil, cúpula, declaração, BRICS
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar