12:02 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Edson Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal

    Fachin barrou pedido da PF para prender Dilma Rousseff, diz site

    © AP Photo / Eraldo Peres
    Brasil
    URL curta
    14269
    Nos siga no

    Segundo o grupo de jornalismo investigativo Vortex, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin negou um pedido da Polícia Federal (PF) para prender a ex-presidente Dilma Rousseff.

    Além da petista, a PF pretendia prender o ex-presidente do Senado, Eunício Oliveira, o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega e também o ministro do Tribunal de Contas da União, Vital do Rego.

    A reportagem publicada nesta terça-feira (5) aponta que a PF suspeita que o grupo participou de uma associação criminosa para compra e venda de apoio do MDB para beneficiar o PT nas eleições presidenciais de 2014.

    Após a negativa de Fachin, a Polícia Federal teria intimado Dilma, Mantega e os senadores Renan Calheiros e Eduardo Braga para que prestassem esclarecimentos.

    Fachin negou o pedido baseando-se no argumento de que faltam evidências que sustentem a necessidade de prisão dos investigados.

    O vice-procurador geral da República, José Bonifácio de Andrada, teria afirmado ao STF que há indícios suficientes para as prisões. Conforme apontou a Vortex, haveria provas de repasse de R$ 46 milhões da J&F a senadores do MDB a pedido do PT em 2014.

    A PF acredita, segundo a agência Vortex, que Dilma teria sido a mandante do uso de recursos ilegais para a compra de apoio político do MDB. Os recursos, R$ 360 mil, teriam origem em negócios do Grupo JF, de Joesley Batista, junto ao BNDES, e grupos da Petrobras e Caixa Econômica.

    Segundo a reportagem, Dilma não era investigada desde o início, sendo que os alvos principais da investigação eram Mantega e lideranças do MDB.

    Mais:

    Rosa Weber vota contra prisão em 2ª instância
    Juíza só decidirá semiaberto de Lula após julgamento de suspeição de Moro no STF
    Dilma, Lula, Palocci e Mantega viram réus na Justiça Federal
    Temer chama impeachment de Dilma de golpe, diz que não o apoiou e causa alvoroço na web
    Tags:
    Renan Calheiros, Eunício Oliveira, Procuradoria Geral da República (PGR), Polícia Federal, MDB, Guido Mantega, Tribunal de Contas da União, PT, Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, Dilma Rousseff
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar