11:58 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, durante o discurso no Palácio do Planalto, 1º de agosto de 2019

    Carlos Bolsonaro publica suposta gravação de interfone do condomínio onde mora seu pai (VÍDEO)

    © AP Photo / Eraldo Peres
    Brasil
    URL curta
    Assassinato de Marielle Franco choca o Brasil (38)
    1197
    Nos siga no

    O vereador Carlos Bolsonaro publicou um vídeo em suas redes sociais nesta quarta-feira (30) em que supostamente apresenta os registros das conversas da portaria do condomínio Vivendas da Barra, zona oeste do Rio de Janeiro, no dia da morte da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL).

    Segundo a reportagem da TV Globo divulgada nesta terça-feira (29), o ex-policial militar Élcio Queiroz, suspeito de envolvimento no assassinato de Marielle e do motorista Anderson Gomes em março de 2018, disse na portaria que iria à casa de Bolsonaro, na época deputado federal, no dia do crime.

    Os registros de presença da Câmara dos Deputados, no entanto, mostram que Bolsonaro estava em Brasília nesse dia.

    A postagem de Carlos é uma reação à citação do nome de seu pai no caso Marielle Franco, diante do depoimento de um porteiro desse condomínio onde o presidente tem casa no Rio.

    De acordo com a gravação apresentada por Carlos, a ligação anunciando um dos criminosos foi feita para o número 65, não 58, onde mora seu pai, Jair Bolsonaro.

    Segundo Carlos, que reside no mesmo condomínio do pai, não há, ao contrário do que afirmou a reportagem da TV Globo, uma ligação para a casa de Jair Bolsonaro, e que não faria sentido a afirmação, atribuída ao porteiro, de que "seu Jair" teria autorizado a entrada do ex-policial Élcio Queiroz, um dos acusados de participar do assassinato de Marielle.

    No vídeo, Carlos reproduz a ligação registrada às 17h13. O porteiro anuncia a chegada do "senhor Élcio". A voz do outro lado, diferente da de Jair Bolsonaro, responde: "Tá, pode liberar aí".

    ​O arquivo tem como data de modificação o dia 14 de março de 2018, às 17h13. No nome do arquivo, aparece o número 65. Não é possível garantir se Carlos de fato gravou o vídeo na administração e se todas as ligações do dia foram apresentadas na lista mostrada por ele.

    De acordo com fontes ouvidas pela TV Globo, há divergências entre as entradas registradas no documento em papel com as exibidas no vídeo. As gravações ainda não foram periciadas porque os investigadores decidiram esperar por uma manifestação do Supremo Tribunal Federal (STF) em função da citação ao presidente da República, Jair Bolsonaro.

    Uma reportagem publicada nesta quarta-feira (30) pela Revista Veja mostra que no mesmo vídeo é possível visualizar uma ligação para a casa 58, de Bolsonaro, às 15h58. Carlos Bolsonaro não apresenta a reprodução desta chamada.

    Após o texto publicado pela Veja, Carlos Bolsonaro publicou um vídeo com o conteúdo da ligação feita às 15h58.

    Tema:
    Assassinato de Marielle Franco choca o Brasil (38)

    Mais:

    Caso Marielle pode parar no STF após citação do nome do presidente Bolsonaro
    Caso Marielle: Bolsonaro pede intervenção de Moro após ser citado em investigação
    Pergunta é endereçada a Jair Bolsonaro: 'quem estava na casa 58?'
    Moro envia pedido de inquérito sobre porteiro de Bolsonaro
    Tags:
    ligação telefônica, ligação, Barra da Tijuca, Jair Bolsonaro, Marielle Franco, Carlos Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar