05:29 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Anthony Garotinho e sua esposa Rosinha Matheus (foto de arquivo)

    Ex-governadores do Rio, casal Garotinho é novamente preso na capital fluminense

    © AFP 2019 / Bruno Domingos
    Brasil
    URL curta
    3121
    Nos siga no

    Casal de ex-governadores do Rio de Janeiro, Garotinho e Rosinha, é preso após Ministério Público acusá-los de interferência em investigações de superfaturamento na Prefeitura de Campos dos Goytacazes.

    Após a derrubada de um habeas corpus a favor dos ex-governadores do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho e sua esposa Rosinha Matheus, a Polícia Civil do estado fluminense prendeu o casal hoje (30), às 6h30 da manhã.

    Ambos foram levados pelos policiais a partir de seu domicílio no bairro do Flamengo, na Zona Sul do Rio.

    A prisão do casal foi autorizada pela Justiça após o Ministério Público afirmar que o Garotinho e sua esposa têm usado de ameaças a testemunhas com seu "poder dissuasório" ao longo de investigações de superfaturamento, em contratos feitos entre a Prefeitura de Campos e a empresa Odebrecht, publicou o portal G1.

    Segundo as investigações, o suposto superfaturamento poderia ser de R$ 60 milhões. 

    Apesar da decisão judicial, a defesa do casal já disse que vai recorrer.

    "A ordem de prisão é ilegal e arbitrária, pautada apenas em suposições e conjecturas genéricas sobre fatos extemporâneos, que supostamente teriam ocorrido entre os anos 2008 e 2014", declarou Vanildo José da Costa Junior, advogado do casal.

    Esta é a quinta vez que o ex-governador é preso desde 2016.

    Mais:

    Caça da Marinha brasileira pega fogo ao decolar de base naval no Rio de Janeiro (VÍDEO)
    Polícia Civil do Rio de Janeiro apreende bazuca durante operação na Baixada Fluminense (FOTO)
    Especialista critica falta de legislação para incêndios em hospitais no Rio de Janeiro
    Tags:
    prisão, corrupção, investigação, Polícia Civil, Campos dos Goytacazes, rio de janeiro, Rosinha Matheus, Anthony Garotinho
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar