07:20 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    O delegado Waldir, Líder do governo na Câmara, concede entrevista em meio à guerra pela liderança do PSL, na Câmara dos Deputados,

    Câmara valida lista que garante Delegado Waldir na liderança da bancada do PSL

    © Folhapress / Renato Costa/FramePhoto
    Brasil
    URL curta
    860
    Nos siga no

    A ala pró-Bolsonaro do PSL sofreu mais uma derrota na disputa interna que tomou conta do partido na última semana.

    A Câmara dos Deputados validou na tarde desta quinta-feira (17) a lista de assinaturas que apoia a manutenção de Delegado Waldir (PSL-GO) na liderança do PSL na Câmara.

    Concorrendo com o delegado Waldir, a ala do partido que apoia o presidente Jair Bolsonaro pretendia nomear o seu filho e deputado federal, Eduardo Bolsonaro, como presidente do partido na Câmara.

    Imerso em profunda crise interna há mais de uma semana, o partido entregou um total de três listas de assinaturas protocoladas para a liderança da sigla na Câmara, entre as quais duas eram de apoio a Eduardo Bolsonaro. Uma angariou 26 assinaturas, enquanto outra tinha 24. A lista de apoio a Delegado Waldir conseguiu 29 assinaturas.

    ​A crise no PSL se acentuou na semana passada quando Bolsonaro recomendou a um apoiador, que se disse pré-candidato pelo partido, a "esquecer" o PSL, pois o presidente nacional da sigla e ligado ao Delegado Waldir, deputado federal Luciano Bivar (PE), estaria "queimado".

    Na última quarta-feira (16), foi divulgado um áudio pela revista Época em que o presidente Jair Bolsonaro articula uma lista de assinaturas para tirar o deputado Delegado Waldir (GO) do cargo de líder do PSL na Câmara.

    Mais:

    Em meio ao 'laranjal do PSL', internautas começam a soar 'tic tac' da queda de Bolsonaro
    Crise no PSL: Bolsonaro diz que possível grampo é 'uma desonestidade'
    Bolsonaro dá 'vergonhosa nota zero' para transparência do PSL
    Tags:
    Eduardo Bolsonaro, Câmara dos Deputados, Luciano Bivar, PSL, Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar