05:52 22 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Manchas de petróleo na praia da Lagoa do Pau, em Alagoas (AL)

    Estudo da UFBA aponta que óleo em praias do Nordeste foi produzido na Venezuela

    © Folhapress / Pei Fon
    Brasil
    URL curta
    743
    Nos siga no

    Estudo realizado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) apontou que o óleo encontrado em diversas praias do litoral do Nordeste foi produzido na Venezuela. 

    O anúncio foi feito nesta quinta-feira (10) pela diretora do Instituto de Geociências da UFBA, Olívia Oliveira. A pequisa foi realizada pela instituição em parceria com a Universidade de Feira de Santana (Uefs) e a Universidade Federal de Sergipe (UFS). As análises estão sendo feitas desde segunda-feira (7), no Laboratório de Estudos do Petróleo (Lepetro), na UFBA.

    "Nossos estudos agroquímicos evidenciam que o óleo é proveniente de uma bacia da Venezuela. Foram diversas análises geoquímicas, a partir da coleta dessas amostras. Esse trabalho realmente revelou que se trata de um petróleo produzido na Venezuela", afirmou Olivia durante entrevista coletiva, segundo publicado pelo portal G1. 

    A pesquisadora explicou que por estar no mar, as análises foram prejudicadas, por isso não está descartada a hipótese do produto ser óleo combustível de navio, conhecido como bunker. "Se parece muito com petróleo cru. Mas não deixamos a possibilidade de ser bunker, combustível de navio. Seria um óleo mais pesado. Mas ainda não temos a real certeza. O óleo apresentava uma certa degradação. Pode ser um óleo cru, como poderia ser bunker", disse. 

    A análise foi feita com nove amostras: duas baianas e sete sergipanas. Segundo a pesquisadora, o "material é compatível com um dos tipos de combustível produzido na Venezuela", e não há "registros na literatura de material semelhante produzido no Brasil". 

    Bolsonaro diz que foi 'ato criminoso'

    O presidente Jair Bolsonaro, durante evento para investidores realizado em São Paulo, disse que o derramamento no Nordeste foi um "ato criminoso", segundo citado pelo jornal O Globo. 

    "O último problema que tivemos foi o derramamento criminoso com toda a certeza, quase certeza ser criminoso, na região costeira do Nordeste. Estamos monitorando desde o dia 2 do mês passado mas infelizmente não temos bola de cristal para descobrir rapidamente os responsáveis por esse ato criminoso", afirmou. 

    Na quarta-feira, durante audiência na Câmara dos Deputados, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse que o petróleo "muito provavelmente" veio da Venezuela. 

    "Esse petróleo que está vindo, muito provavelmente da Venezuela, como disse o estudo da Petrobras, é um petróleo que veio por um navio estrangeiro, ao que tudo indica, navegando próximo à costa brasileira, com derramamento acidental ou não, e que nós estamos tendo enorme dificuldade de conter", argumentou. 

    O estudo da Petrobras ao qual o ministro se refere são análises laboratoriais feitas pela estatal indicando que o produto é uma mistura de óleos venezuelanos. 

    Venezuela rebate acusações

    A estatal venezuelana Petróleos de Venezuela (PDVSA) negou nesta quinta-feira que o petróleo encontrado no litoral nordestino veio do país. "A PDVSA rechaça categoricamente as declarações do ministro do Meio Ambiente brasileiro, Ricardo Salles, que acusa a Venezuela de ser a responsável pelo petróleo cru que contaminou as praias do Nordeste do Brasil desde o início de setembro", disse a empresa por meio de comunicado. 

    A PDVSA disse que as acusações eram "infundadas" e não há "qualquer evidência de derramamento de petróleo cru nos campos petrolíferos da Venezuela que pudessem ter gerado dados ao ecossistema do país vizinho".

    Desde o início de setembro, manchas de óleo vem aparecendo no litoral da região. Os nove estados do Nordeste foram atingidos. Até o momento, houve registro de vazamentos em mais de 60 cidades e 130 praias. 

    Mais:

    EUA impõem novas sanções a navios e empresas vinculados à Venezuela
    Com crescimento da produção de petróleo, que empresas estrangeiras podem ajudar Brasil?
    Venezuela aumenta exportação de petróleo para Cuba apesar de sanções americanas
    Exclusiva: governador do Amapá diz que doadores desejam aumentar recursos do Fundo Amazônia
    Brasil sem voz na cúpula do clima: retaliação ou falta de dever de casa?
    Tags:
    Jair Bolsonaro, Nordeste, poluição, derramamento, vazamento, petróleo, Brasil, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar