08:44 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Policiais de UPPs durante operação na Cidade de Deus e na Comunidade do Karatê, no Rio de Janeiro (arquivo)

    Operação no Complexo do Alemão deixa 5 mortos e fecha escolas (FOTO, VÍDEO)

    © Foto/ Betinho Casas Novas/Futura Press/Folhapress
    Brasil
    URL curta
    3112
    Nos siga no

    Operação da Polícia Militar nesta quarta-feira (18) no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, resultou em 5 mortes e fechou escolas e creches da região. Um policial ficou ferido.

    Entre os mortos está o mototaxista Wellens dos Santos, de 18 anos. Ele foi levado em um carrinho de mão pra Unidade de Pronto Atendimento, informa o G1, mas não resistiu aos ferimentos. 

    As seguintes unidades da PM participaram da operação: Batalhão de Ações com Cães (BAC), Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), Grupamento Aeromóvel (GAM), Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e Unidades de Polícia Pacificadora (UPP).

    Segundo o Voz das Comunidades, as escolas municipais Vera Saback Sampaio, Mourão Filho, Afonso Várzea, Rubens Berardi foram fechadas. As creches José Vieira, Lúcia Maria, Tânia Cristina, Luíza Helena, Creche Municipal Nova Brasília e Ciep Coronel Sarmento também não trabalham hoje por conta da troca de tiros.

    Em locais em que as aulas já haviam começado, as crianças precisaram se proteger dos tiros:

    O Voz das Comunidades também afirma que o caveirão e o helicóptero da Polícia Militar participaram da operação.

    Em 2018, as forças policiais do Rio de Janeiro mataram 1534 pessoas. Neste ano, sob a gestão do governador Wilson Witzel, os números da letalidade policial estão aumentando

    Mais:

    Academia Brasileira de Letras condena 'censura' de livros no Rio de Janeiro
    Especialista critica falta de legislação para incêndios em hospitais no Rio de Janeiro
    Apartamento pega fogo na Zona Sul do Rio de Janeiro
    Rio de Janeiro volta a ser atingido por incêndio, em prédio residencial da Tijuca (FOTO, VÍDEOS)
    Tags:
    Wilson Witzel, PMERJ
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar