21:05 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente Jair Bolsonaro participou de uma cerimônia em homenagem aos ex-combatentes brasileiros que lutaram na Segunda Guerra Mundial

    Bolsonaro muda de ideia e confirma participação em cúpula sobre incêndios na Amazônia

    © Sputnik / Thiago de Araújo
    Brasil
    URL curta
    528
    Nos siga no

    O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participará por vídeo de uma cúpula regional sobre incêndios que devastaram a Amazônia, informou o seu porta-voz na terça-feira, depois de afirmar anteriormente que ele a ignoraria por completo.

    Amplamente criticado por seu apoio ao desmatamento na Amazônia e uma reação tardia aos incêndios florestais, Bolsonaro disse no início desta semana que não participaria da sessão desta sexta-feira na Colômbia devido aos preparativos para uma cirurgia.

    Uma dieta líquida que ele deveria iniciar naquele dia tornara a viagem inviável, explicou o porta-voz Otávio Rego Barros. Mas na terça-feira, Barros inverteu o curso, dizendo aos repórteres que "estamos programados para realizar uma videoconferência na sexta-feira às 11h30 (horário de Brasília)".

    A cirurgia de Bolsonaro, a ser realizada no próximo domingo, tem como objetivo corrigir uma hérnia incisional, sua quarta operação desde que ele foi esfaqueado há quase um ano durante a campanha presidencial.

    Os médicos explicaram que ele precisaria de 10 dias de descanso após a operação, que será realizada em São Paulo.

    Na segunda-feira, o presidente prometeu defender sua polêmica política amazônica na Assembleia Geral da ONU no final deste mês, mesmo que ele tivesse que fazê-lo "em uma cadeira de rodas".

    Incêndios florestais no território brasileiro da Amazônia
    © REUTERS / Nacho Doce
    Incêndios florestais no território brasileiro da Amazônia

    "Aparecerei diante da ONU mesmo em uma cadeira de rodas, em uma maca. Aparecerei porque quero falar sobre a Amazônia", comentou Bolsonaro a repórteres do lado de fora de sua residência oficial em Brasília.

    Tradicionalmente, o Brasil faz o primeiro discurso na reunião da Assembleia Geral, marcada para 24 de setembro.

    Respondendo às críticas de sua política, Bolsonaro acusou a França e a Alemanha de tentarem comprar a soberania do Brasil depois que o grupo do G7 de democracias ricas ofereceu US$ 20 milhões em ajuda contra incêndios na Amazônia.

    Bolsonaro incentivou os brasileiros a usar as cores do país - verde e amarelo - durante as próximas comemorações do Dia da Independência, neste sábado, para reafirmar a reivindicação do Brasil à região amazônica.

    Mais:

    'Fascismo' do governo Bolsonaro é culpado pelos incêndios na Amazônia, afirma Maduro
    Bolsonaro atualiza Merkel sobre incêndios na Amazônia
    Trump discute Amazônia com Eduardo Bolsonaro e chanceler Ernesto Araújo
    Tags:
    Assembleia Geral da ONU, cirurgia, Jair Bolsonaro, Otávio Rego Barros, meio ambiente, desmatamento, queimadas, incêndio, Floresta Amazônica, Amazônia, Colômbia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar