13:20 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Jornalista Glenn Greenwald

    Greenwald sobre 'candidatura' de Moro à presidência: se Bolsonaro pôde ganhar qualquer um pode

    © AP Photo / Leo Correa
    Brasil
    URL curta
    Por
    232812
    Nos siga no

    Na noite de segunda-feira (2), o programa Roda Viva recebeu o jornalista Glenn Greenwald, um dos responsáveis pela Vaza Jato. A entrevista está ecoando na web, com críticas de um lado e elogios de outro.

    O programa Roda Viva da TV Cultura recebeu na noite da segunda-feira (2) o jornalista Glenn Greenwald, que há meses, através do site The Intercept Brasil e com colaboração de diversos veículos de mídia brasileiros, vem vazando material de procuradores e do ex-juiz Sergio Moro, e agora ministro da Justiça do Brasil, envolvidos na maior operação anticorrupção do Brasil, a Lava Jato.

    Quando perguntado sobre se a fonte, que o jornalista se recusa a revelar identidade pela ética jornalística, recebeu algum dinheiro em troca, Glenn Greenwald ressaltou que "nunca pagaria por nenhum conteúdo".

    Greenwald se mostrou adepto à Lava Jato, que tanto fez pelo Brasil, mas destacou que corrupção não se combate com corrupção.

    "Eu era defensor da Lava Jato e também da luta ao combate à corrupção. Em 2017, eu dei um discurso, uma palestra, onde estavam Deltan Dallagnol e três outros procuradores da Lava Jato, e eu defendi e elogiei o trabalho da operação, falando que corrupção é um problema enorme no Brasil, como alguém que mora aqui há mais de 15 anos. Mas é impossível combater corrupção com corruptos ou com métodos corruptos."

    O jornalista não acredita que a Vaza Jato esteja enfraquecendo a Lava Jato.

    "O que nosso material está mostrando é da força-tarefa da Lava Jato e do ex-juiz Sergio Moro. Eu não acredito de forma alguma que o trabalho que estamos fazendo esteja enfraquecendo a Lava Jato no combate à corrupção, pelo contrário, está fortalecendo a Lava Jato."

    Glenn acredita que todo mundo sabe que os vazamentos sobre Lava Jato são autênticos, destacando que o "jogo cínico" de Moro e Dallagnol acabou.

    "A autenticidade do arquivo [da Vaza Jato] nem é mais duvidada. Já há sete ou oito veículos da mídia brasileira que disseram que investigaram o conteúdo das mensagens, então o jogo cínico, que Sergio Moro e Deltan Dallagnol estava fazendo no começo [do vazamento], acabou. A questão agora é como vamos fortalecer o combate à corrupção."

    A entrevista vem sendo ecoada no Twitter, pondo a hashtag #RodaViva e o nome "Glenn" nos assuntos mais comentados desta manhã de terça-feira (3) com mais de 60 mil tweets cada um.

    Há muita gente criticando o repertório tomado pelos entrevistadores.

    ​Uma pergunta em especial não deixa de ser propagada por internautas.

    ​O historiador Juliano Medeiros caracterizou a entrevista de Greenwald como exemplar.

    ​A pergunta sobre possível candidatura de Sergio Moro à Presidência do Brasil trouxe uma resposta de Glenn um tanto hilária para muitos internautas. "Se Jair Bolsonaro pôde ganhar a eleição qualquer um pode", afirmou o jornalista com sorriso no rosto.

    Mais:

    Deltan Dallagnol ultrapassou alguns limites em mensagens vazadas, diz especialista
    Áudio vazado do procurador da Lava Jato traz à tona brasileiros 'iguais' a Deltan
    Áudio vazado mostra Dallagnol comemorando proibição de entrevista de Lula, diz site
    Tags:
    Operação Lava Jato, Roda Viva, Jair Bolsonaro, Glenn Greenwald
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar