12:42 13 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Os deputados Jair Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro falam com a imprensa. Foto de 26 de junho de 2016.

    Bolsonaro garante que não vai propor fim da multa de 40% do FGTS

    Agência Brasil / Fábio Rodrigues Pozzebom
    Brasil
    URL curta
    213
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado que não vai propor o fim da multa de 40% sobre o salto do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de empregados demitidos sem justa causa.

    "Em nenhum momento vocês vão me ouvir falando de acabar com multa de 40% FGTS", disse o presidente a jornalistas, em entrevista em frente ao Palácio do Alvorada.

    No entanto, para ele, a multa virou quase obrigatória.

    "Dificilmente, você dá demissão por justa causa. Mesmo dando, o cara entra com ação contra você. Dificilmente se ganha ação nesse sentido. Os patrões pagam", alegou Bolsonaro, citado pela Agência Brasil.

    "Assim como quem estava empregado ficou mais difícil ser demitido, quem empregava começou a não empregar mais pensando em possível demissão", acrescentou o político.

    De todo modo, o presidente garantiu que a regra permanece.

    "Não vou propor [o fim dos] 40%", concluiu.

    Na sexta-feira, a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto divulgou nota à imprensa negando qualquer estudo sobre o fim do pagamento da multa.

    Mais:

    Governo pode liberar R$ 30 bi do FGTS, mas só se aprovar reforma da Previdência
    Governo estuda liberar saques em contas ativas do FGTS para estimular economia, diz Guedes
    Bolsonaro afirma ter 'profundo respeito' pelo líder russo Vladimir Putin
    Bolsonaro garante que hoje 'passar fome no Brasil é uma grande mentira'
    Tags:
    multa, FGTS, Jair Bolsonaro, Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar