21:53 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
     Plenário da Câmara dos Deputados durante sessão para votação da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro

    Câmara dos Deputados aprova texto-base da Reforma da Previdência

    Wilson Dias/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    17721
    Nos siga no

    O texto-base da reforma da Previdência foi aprovado pela Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (10). A aprovação foi por 379 votos favoráveis e 131 contra. Eram precisos 308 votos para a aprovação da proposta de emenda constitucional que alterou a Previdência.

    A aposentadoria por tempo de contribuição deixa de existir. O tempo mínimo de contribuição foi aumentado para 65 anos nos homens e 62 nas mulheres. 
    Segundo contabilidade do secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, a reforma significa uma economia de R$ 990 bilhões. 

    Ainda restam 15 destaques para serem votados. Caso eles sejam aprovados, podem alterar pontos do texto-base.

    O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, foi ovacionado pelos deputados federais durante a sessão plenária.

    "A posição de reformar o Estado brasileiro é a posição correta", disse Maia. "Essas reformas vem no intuito de reduzir desigualdades, esse eu tenho certeza que é o objetivo de todos os parlamentares."

    Maia também disse que a reforma tributária passa a ser uma das prioridades. 

    Para entrar em vigor, a Reforma ainda precisa ser aprovada em outro turno pela Câmara, ser aprovada em dois turnos pelo Senado e, então, ser sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). 

    Mais:

    Mito? É criada hashtag para abafar vaias contra Bolsonaro no Maracanã – Vídeos, Foto
    Bolsonaro até 2026? Presidente fala em reeleição durante evento em Brasília
    Pesquisa aponta que 33% da população faz avaliação positiva do governo Bolsonaro
    Bolsonaro sanciona lei sobre proteção de dados
    'Motivo ideológico' de Bolsonaro pode limitar Comissão de Ética da Presidência, diz especialista
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar