05:54 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, durante entrevista coletiva na cúpula do G20 em Osaka, Japão, 29 de junho de 2019

    10 ex-ministros da Ciência lançam manifesto contra políticas de Bolsonaro

    © REUTERS / Jorge Silva
    Brasil
    URL curta
    11197
    Nos siga no

    Foi lançado nesta segunda-feira (1), na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), um manifesto assinado por dez ex-ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação contra a condução do setor pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

    O grupo reúne membros de administrações de diferentes matizes políticas e afirma que tem "profunda preocupação" com o atual quadro de cortes orçamentários. 

    "Desqualificar as universidades públicas que produzem mais de 90% da pesquisa brasileira e a privatização de empresas estratégicas, são equívocos que podem custar caro à sociedade brasileira", afirma o manifesto dos ex-ministros da Educação.

    Antes da atual iniciativa, antigos titulares das pastas do Meio Ambiente, Educação e Justiça também publicaram manifestos contra os rumos do governo Bolsonaro
    Presente no evento na UFRJ e ex-ministro, Aloízio Mercadante afirmou em entrevista à Sputnik Brasil que o manifesto é um "alerta à sociedade brasileira".

    Segundo o antigo ministro da gestão de Dilma Rousseff, o Brasil ficará para trás na economia global se não fizer investimentos em ciência e tecnologia. Mercadante também afirma que Bolsonaro não baseia suas decisões em evidências e questiona fatos concretos, como o aquecimento global. 

    "Nós temos um governo que não baseia suas políticas públicas na pesquisa científica, nos fatos, na evidência empírica."

    Mais:

    Cidades brasileiras registram atos em apoio ao presidente Jair Bolsonaro e Sergio Moro
    Bolsonaro exalta acordo do Mercosul com União Europeia
    Bolsonaro diz esperar que acordo entre Mercosul e UE entre em vigor em até 3 anos
    'Bolsonaro é otimista', acordo UE-Mercosul só deverá entrar em vigor em 5 ou 7 anos, diz expert
    Bolsonaro deixa premiê canadense 'no vácuo' e Twitter não perdoa (Vídeos)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar