20:39 18 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Deputado Jair Bolsonaro

    Agência espanhola recebeu por disparos pró-Bolsonaro no Whatsapp, revela jornal

    © flickr.com/ Senado Federal
    Brasil
    URL curta
    692

    Ilegal perante a lei eleitoral, a contratação por empresas brasileiras de disparos em massa de mensagens políticas em favor do então candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, foi feita junto a uma agência da Espanha, segundo o jornal Folha de S. Paulo.

    De acordo com a reportagem publicada nesta terça-feira, gravações obtidas pelo jornal são protagonizadas espanhol Luis Novoa, dono da Enviawhatsapps. Nos áudios, ele declarou que "empresas, açougues, lavadoras de carros e fábricas" compraram o seu software para enviar mensagens pró-Bolsonaro durante as eleições de 2018.

    O espanhol informou o jornal de que não sabia do uso político dos serviços da sua empresa. Isso só foi descoberto quando o Whatsapp entrou em contato e cortou as linhas da companhia. A publicação também destacou "não haver indicações" de que Bolsonaro e sua equipe soubessem dos disparos de mensagens a seu favor.

    Conforme diz a lei eleitoral brasileira, é proibida a doação empresarial para campanhas política, assim como doações não declaradas de pessoas físicas. Somente as campanhas oficiais podem contratar o impulsionamento de mensagens eleitorais em redes sociais.

    O uso de ferramentas de automatização também é proibido em campanhas eleitorais no Brasil.

    Novoa negou trabalhar para campanhas políticas brasileiras. Contudo, de acordo com a Folha, o empresário também já prestou serviços a um partido de direita da Espanha, o Vox.

    Também ao jornal, Bolsonaro declarou que "teve milhões de mensagens a favor da minha campanha, e talvez alguns milhões contra também" e se disse favorável à "total liberdade de imprensa, manifestação de pensamento".

    Mais:

    BRICS: Brasil receberá Putin em 2019 e Bolsonaro irá à Rússia em 2020, diz embaixador
    'Ataques' de Bolsonaro contra índios e florestas podem melar acordo entre UE e Mercosul
    Bolsonaro comenta possível derrota do decreto das armas: 'eu não sou ditador, sou democrata, pô'
    Tags:
    WhatsApp, política, direita conservadora, Vox, Jair Bolsonaro, Espanha, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar