19:22 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Trabalhador da RN-Purneftegaz, uma empresa filhiada da Rosneft, na estação de compressão de gás Kharampur, na península russa de Yamal (foto referencial)

    Amazonas dá prioridade a projeto de gás da Rosneft na bacia do Solimões, diz companhia

    © Sputnik / Evgeny Biyatov
    Brasil
    URL curta
    3202
    Nos siga no

    O governo do Amazonas concedeu às atividades de exploração e extração de gás da Rosneft na bacia do rio Solimões o status de um projeto prioritário, informou a gigante russa da energia nesta terça-feira.

    "O governo do estado do Amazonas atribuiu o status prioritário ao projeto da Rosneft na bacia do Solimões. De acordo com a carta de intenção assinada entre a Rosneft Brasil (subsidiária integral da Rosneft) e o governo do estado brasileiro, autoridades regionais devem fornecer condições para a implementação do projeto da Rosneft", disse Rosneft em um comunicado.

    A empresa russa especificou que as condições em questão incluíam incentivos fiscais para o projeto, apoio para a construção de infraestrutura necessária e licenciamento ambiental.

    Segundo a Rosneft, o projeto Solimões é vital para as atividades de exploração da Rosneft Brasil na região.

    A Rosneft Brasil iniciou a perfuração de seu primeiro poço exploratório na bacia do Solimões em fevereiro de 2017. No total, a empresa possui 13 áreas de licença, que segundo estimativas da DeGolyer e MacNaughton, contêm 60 bilhões de metros cúbicos de contingente dos recursos do gás natural, disse Rosneft.

    Além disso, as áreas possuem significativos recursos de petróleo e condensado.

    Mais:

    Brasil seria temido por Rússia e China se tivesse bomba nuclear, diz filho de Bolsonaro
    Rússia pode ajudar Brasil a desenvolver instalações atômicas, diz embaixador em Moscou
    BRICS: Brasil receberá Putin em 2019 e Bolsonaro irá à Rússia em 2020, diz embaixador
    Tags:
    Bacia do Solimões, petróleo, gás, Rosneft Brasil, Rosneft, Amazonas, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar