21:26 15 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Neymar ouve o hino nacional do Brasil antes do jogo contra a Suíça em Rostov-on-Don, Rússia.

    Justiça brasileira bloqueia 36 imóveis de Neymar por 'calote fiscal', diz jornal

    © Sputnik / Grigoriy Sisoev
    Brasil
    URL curta
    6213

    Os reveses do atacante Neymar, do Paris Saint-Germain continuam a crescer, enquanto as autoridades fiscais brasileiras congelaram dezenas de suas mansões e outras propriedades em meio a uma disputa tributária de longa duração, informou a mídia local nesta segunda-feira.

    O jornal Folha de S.Paulo informou que as autoridades brasileiras bloquearam 36 propriedades no Brasil ao buscarem R$ 69 milhões em impostos atrasados. Eles alegam que esse valor é devido em conexão com a transferência de Neymar em 2013, do Santos para Barcelona.

    A ação significa que o Neymar pode usar as propriedades, mas não vendê-las.

    A Folha citou uma decisão judicial não especificada, aprovando a ação das autoridades fiscais brasileiras. Não foi imediatamente possível localizar a decisão.

    A agência tributária do Brasil não respondeu a um pedido de comentário. Uma porta-voz de Neymar não fez comentários.
    Além de sua luta fiscal, Neymar nas últimas semanas foi acusado de estupro, uma alegação de que a polícia brasileira está investigando.

    Uma mulher brasileira acusou Neymar, de 27 anos, de estuprá-la em um hotel em Paris no mês passado. Ele nega a alegação e diz que o relacionamento foi consensual.

    No domingo, uma reportagem do jornal francês L'Equipe disse que o Paris Saint-Germain está preparado para vender Neymar, já que o presidente Nasser Al-Khelaifi alertou que o comportamento irresponsável de jogadores não será mais tolerado.

    Mais:

    Bolsonaro defende Neymar sobre acusação de estupro: 'acredito nele'
    Após acusar Neymar de estupro e agressão, modelo entra da pior forma no top do Twitter
    Mulher que acusa Neymar de estupro tem casa invadida, diz ESPN
    Tags:
    mansão, sonegação fiscal, impostos, Receita Federal, Neymar, Paris, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar