19:01 23 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Colheita da cana de açúcar

    Após visita de Mourão, Brasil e China fecham acordo sobre disputa do açúcar na OMC

    Mayke Toscano/Gcom-MT
    Brasil
    URL curta
    5142

    Brasil e China chegaram a um acordo sobre a disputa de açúcar que o país sul-americano iniciou no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC), disseram os Ministérios da Agricultura e Relações Exteriores do governo do presidente Jair Bolsonaro em um comunicado conjunto nesta terça-feira.

    "O Brasil e a China chegaram a um entendimento nas consultas que foram realizadas no campo da disputa de açúcar iniciada pelo Brasil na OMC", diz a nota oficial.

    O governo brasileiro não deu mais detalhes sobre o acordo alcançado, mas ressaltou que o vê "positivamente" e que satisfaz as duas partes, sem que seja necessário estabelecer um painel (uma espécie de julgamento) na OMC para examinar o assunto.

    As consultas haviam sido solicitadas pelo governo brasileiro em outubro de 2018, depois que a China começou a aplicar sobretaxas às importações de açúcar.

    O Brasil também abordou a administração do contingente tarifário que a China mantém para a importação de açúcar, bem como a operação de um sistema de autorização automática para importações do produto fora da cota.

    O anúncio vem como parte da visita que o vice-presidente brasileiro, Antônio Hamilton Mourão, realizou na China nesta semana.

    O país asiático é o principal parceiro comercial do Brasil e, segundo dados oficiais, entre janeiro e abril, recebeu 26,8% das exportações brasileiras.

    Mais:

    'Ninguém poderá conter o ascenso da China', afirma especialista
    Trump afirma que China não será uma superpotência 'com ele' no poder
    Tensão comercial entre EUA e China 'afunda' mercados emergentes: Brasil atinge pior índice
    Tags:
    disputa comercial, exportações, comércio, economia, relações comerciais, açúcar, OMC, Jair Bolsonaro, Antonio Hamilton Mourão, China, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar