13:32 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Atirador durante uma sessão de tiros em um clube de armas no Brasil

    Homem abre fogo em igreja evangélica e mata pelo menos 3 pessoas em MG (VÍDEOS)

    © AP Photo / Leo Correa
    Brasil
    URL curta
    1415
    Nos siga no

    Um homem de 39 anos disparou contra um grupo de pessoas dentro de uma igreja evangélica em Paracatu (MG), a 483 km de Belo Horizonte, na noite desta terça-feira. Ele ainda assassinou uma ex-namorada e está internado em estado grave após ser baleado por policiais militares.

    De acordo com informações do jornal O Estado de Minas, o atirador foi identificado como Rudson Aragão Guimarães, um ex-militar da Aeronáutica, conforme informou o jornal Correio Braziliense. Antes de invadir a Igreja Batista Shalom, ele esteve na casa de uma ex-namorada, a qual acabou levando uma facada no pescoço e não resistiu ao ferimento.

    Ainda de acordo com a publicação, em seguida Guimarães entrou na igreja e atingiu pelo menos dois idosos com tiros na cabeça. Ele se recusou a se entregar e fez uma mulher como refém. Ela acabou sendo morta por ele, que foi atingido por um tiro.

    "Temos a informação de que ainda haviam 20 pessoas no local e ele estava com mais seis munições intactas, se a PM [Polícia Militar] não tivesse chegado a tempo, a situação seria muito pior", afirmou ao jornal o porta-voz da corporação, major Flávio Santiago.

    Guimarães está em estado grave e a polícia precisou cercar o hospital da cidade, que corria o risco de ser invadido por populares. De acordo com a publicação, o atirador era frequentador da igreja e, no passado, já teria tido problemas com drogas.

    A suspeita é de que Guimarães tenha tido um surto psicótico, segundo o tenente-coronel Luiz Magalhães, do 45ª Batalhão da PM de Paracatu. Além das quatro mortes, outras seis pessoas ficaram feridas, mas o estado de saúde delas não foi revelado.

    Tags:
    violência, tragédia, feminicídio, atirador, atentado, Rudson Aragão Guimarães, Paracatu, Minas Gerais, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar