02:40 21 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Banco Central do Brasil (arquivo)

    Banco Central aponta recuo da economia e ministro anuncia 'fundo do poço'

    Agência Brasil/Antônio Cruz
    Brasil
    URL curta
    430
    Nos siga no

    Segundo o Banco Central, a economia brasileira sofreu retração de 0,68% durante o primeiro trimestre de 2019.

    A informação foi divulgada pelo Banco Central nesta quarta-feira no Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), que é considerado uma "prévia" do Produto Interno Bruto (PIB).

    A retração da economia, registrada entre janeiro e março, foi medida em comparação com o quarto trimestre de 2018. Comparando com o primeiro trimestre de 2018, o IBC-Br de 2019 registrou alta de 0,23%. 

    O IBC-BR é um indicador calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e antecipa os números oficiais do PIB do primeiro trimestre, que devem ser divulgados no dia 30 de maio.

    O IBC-Br é considerado pelo BC para definição da taxa básica de juros (Selic) do país. 

    Se for confirmada no fim deste mês, essa será a primeira retração desde o quarto trimestre de 2016.

    Na terça-feira, em audiência na Comissão Mista de Orçamento, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a economia do Brasil está no "fundo do poço". Ele cobrou do Congresso a aprovação das reformas propostas pelo governo Bolsonaro para evitar novos cortes no orçamento e para impulsionar a economia do país.

    O ministro disse que pretende revisar de 2,2% para 1,5% a previsão do governo para a alta do PIB em 2019.

    Mais:

    Comissão aprova transferência do Coaf para Economia e demarcação de terras para Funai
    É o fim? Economia mundial pode não resistir à dívida de 243 trilhões de dólares
    Economia brasileira não permite aventuras na diplomacia com Israel, diz especialista
    FMI: Brasil tem pior participação na economia mundial em quase 4 décadas
    Brasil é a 9ª economia mais miserável do mundo, diz Bloomberg
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar