04:10 20 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Jair Bolsonaro ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes

    Bolsonaro promete corrigir tabela do Imposto de Renda

    © AP Photo / Eraldo Peres
    Brasil
    URL curta
    203
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro disse neste domingo, em entrevista à rádio Bandeirantes, que o governo vai fazer a correção na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física para o ano que vem.

    Bolsonaro disse ter orientado o ministro da Economia, Paulo Guedes, para que a tabela do IR seja corrigida "no mínimo" seguindo a inflação. Ele informou que o governo também estuda aumentar os limites de deduções.

    "Hoje em dia, o Imposto de Renda é redutor de renda. Falei para o Paulo Guedes que, no mínimo, este ano temos que corrigir de acordo com a inflação a tabela para o ano que vem. E, se for possível, ampliar o limite de desconto com educação, saúde. Isso é orientação que eu dei para ele [Guedes]. Espero que ele cumpra, que orientação não é ordem. Mas, pelo menos, corrigir o Imposto de Renda pela inflação, isso, com toda a certeza, vai sair", disse Bolsonaro.

    Juiz federal Sérgio Moro
    Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil/FotosPúblicas
    A defasagem na tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) chega a 95,46%, segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional), publicado em janeiro deste ano. O levantamento foi feito com base na diferença entre a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulada de 1996 a 2018 e as correções da tabela no mesmo período.

    A tabela do Imposto de Renda não sofre alterações desde 2015. De 1996 a 2014, a tabela foi corrigida em 109,63%. O IPCA acumulado, no entanto, está em 309,74%. De acordo com o Sindifisco Nacional, a falta de correção na tabela prejudica principalmente os contribuintes de menor renda, que estariam na faixa de isenção, mas são tributados em 7,5% por causa da defasagem, informou Agência Brasil.

    Mais:

    Bolsonaro inaugura com Paraguai as obras de nova ponte que ligará os 2 países
    STF dá prazo de 5 dias para Bolsonaro explicar decreto das armas
    Senador: Flexibilizando porte de arma, Bolsonaro transfere responsabilidade pela segurança
    MP dos Ministérios pode deixar Bolsonaro na mão do Congresso
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar