16:20 21 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Presidente do Brasil, Michel Temer, em foto no Palácio do Planalto em 13 de setembro de 2016

    Temer, filha e mais dois viram réus por lavagem de dinheiro em SP

    © AFP 2019/ EVARISTO SA
    Brasil
    URL curta
    670

    O ex-presidente Michel Temer (MDB), sua filha Maristela Temer, o coronel João Batista Lima Filho e sua esposa, Maria Rita Fratezi, se tornaram réus em uma ação penal contra o suposto crime de lavagem de dinheiro, conforme decisão tomada pelo juiz Diego Paes Moreira, titular da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo.

    Nesta quinta-feira, o magistrado aceitou uma denúncia feita na última terça-feira pela força-tarefa da Lava Jato do Ministério Público Federal (MPF), segundo a qual a reforma da casa de Maristela poderia ter sido financiada com dinheiro desviado das obras da usina nuclear de Angra 3, em 2014, acusação negada pela defesa.

    A denúncia contra o ex-chefe de Estado faz parte do chamado inquérito dos portos, que investigou possíveis favorecimentos de Temer a empresas do setor portuário. Desde janeiro, quando deixou a presidência, o caso, que estava com o Supremo Tribunal Federal (STF), devido ao foro privilegiado, está na justiça de São Paulo.

    Atualmente, Michel Temer já responde, junto com outras 13 pessoas, por desvios na Eletronuclear na obra de Angra 3, por corrupção, lavagem de dinheiro e peculato.

    Mais:

    Temer e filha são denunciados por lavagem de dinheiro
    Temer se torna réu em caso de mala de meio milhão
    BC bloqueia R$ 8,2 milhões nas contas de Temer
    MPF irá recorrer da decisão que soltou Michel Temer
    Tags:
    Operação Lava Jato, Usina Nuclear Angra 3, MPF, STF, Maria Rita Fratezi, João Batista Lima Filho, Maristela Temer, Michel Temer, Brasília, São Paulo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar