18:27 13 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Brasil China negócios

    Queremos ampliar relação com a China, diz coordenador de grupo parlamentar sobre o tema

    APPDA/ANPR
    Brasil
    URL curta
    10271
    Nos siga no

    Será lançado nesta quinta-feira (28), no Senado Federal, o Grupo Parlamentar Brasil-China. A inciativa de criação do grupo foi feita para aprofundar a amizade e a cooperação entre os parlamentos dos dois países.

    Em entrevista à Sputnik Brasil, o deputado federal Daniel Almeida (PCdoB-BA), coordenador do colegiado, disse que "o Congresso deve acompanhar a relação entre os dois países do ponto de vista econômico, político, social, cultural, buscando sempre estreitar essas relações".

    "A China é a economia que mais cresce de forma estável no mundo, tem apresentado resultados que devem merecer a observação de todo o mundo. São mais de 30 anos de crescimento contínuo e estável, uma economia que tem padrão tecnológico extremamente pujante, disputando tecnologicamente com qualquer economia, qualquer sociedade no planeta", disse.

    Segundo o deputado Daniel Almeida, a aproximação excessiva do governo Bolsonaro com os Estados Unidos causa preocupação já que a China é o principal parceiro comercial do Brasil.

    "A nossa preocupação neste momento diz respeito a uma certa manifestação do atual governo de desprestígio dessa relação com a China, tentando estabelecer uma relação privilegiada com os Estados Unidos", comentou.

    Daniel Almeida afirmou que o fortalecimento das relações com os chineses é extremamente relevante, principalmente neste ano em que o Brasil sediará, em novembro, o encontro dos BRICS — o grupo de cooperação econômica que reúne, além do Brasil, a Rússia, a Índia, a China e a África do Sul.

    "Eu não acredito que o Brasil encontre caminho para o seu desenvolvimento, para sua autonomia, para sua soberania se desgarrar desse mundo multipolar e do fortalecimento dos BRICS", completou.

    O Grupo Parlamentar Brasil China conta com cerca de 60 deputados e está aberto a adesão de outros parlamentares.

    Tags:
    comércio bilateral, China, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar