03:37 17 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Mulheres se abraçando durante vigília pelas vítimas de Brumadinho (MG)

    Brumadinho: total de mortes sobe para 209

    © AP Photo / Leo Correa
    Brasil
    URL curta
    412

    O total de mortes após rompimento da barragem de Brumadinho, no dia 25 de janeiro, já chega a 209, informou a Defesa Civil de Minas Gerais na noite desta terça-feira.

    Além disso, 97 pessoas ainda estão desaparecidas. Segundo informação anterior, divulgada pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais (CBMMG), apontava 99 desaparecidos. 

    A Defesa Civil explicou que dois nomes foram retirados da lista porque se descobriu que uma das pessoas tinha morrido antes do desastre e a outra teria documentos inconsistentes. 

    No momento foram localizadas 395 vítimas do rompimento da barragem da Vale. A força-tarefa com um efetivo de 137 bombeiros, divididos em 15 frentes, atua há 55 dias com o auxílio de 76 máquinas pesadas, dois drones e um helicóptero do modelo Arcanjo.

    Os representantes dos bombeiros atualizam os parentes das vítimas sobre as buscas e realizam reuniões regulares com a população afetada pelo rompimento da barragem.

    A tragédia de Brumadinho também resultou na contaminação do Rio Paraopeba, que passou a apresentar nível de cobre 600 vezes maior do que o normal, segundo estudo da Fundação SOS Mata Atlântica. O rio era responsável por 43% do abastecimento público da região metropolitana de Belo Horizonte, informou Agência Brasil.

    Mais:

    Justiça de MG volta a determinar a prisão de envolvidos na tragédia de Brumadinho
    Brumadinho: mais da metade do Rio Paraopeba está morto, diz SOS Mata Atlântica
    Brumadinho: o que fez da gigante mineradora Vale uma bomba relógio?
    CEO da Vale diz que empresa é 'joia brasileira' e não pode ser condenada por Brumadinho
    Vale perde R$ 73 bi em valor de mercado após tragédia de Brumadinho
    Depois da lama: pesquisador comenta impactos na saúde da população de Brumadinho
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar