16:30 18 Março 2019
Ouvir Rádio
    Jatos da Bombardier concorrem com modelos fabricados pela Embraer

    Parceria Boeing-Embraer está em perigo com a crise dos 737 Max 8?

    Adrian Dennis/AFP
    Brasil
    URL curta
    1247

    A Embraer informou nesta quinta-feira que os problemas que a Boeing vem enfrentando com o modelo 737 Max 8 não afetarão a parceria da empresa brasileira com a empresa norte-american. A Sputnik Brasil conversou com o diretor da consultoria Troia Intellgence, Ricardo Gennari, sobre os possíveis impactos dos problemas da Boeing na negociação.

    O avião de modelo 737 Max sofreu dois acidentes em menos de cinco meses e teve a operação proibida nos EUA, na Rússia, na China, na Europa e em muitos outros países, entre eles o Brasil. 

    De acordo com a companhia brasileira, a questão “não tem conexão com a Embraer e não afeta a parceria estratégica com a Boeing”.

    Em entrevista à Sputnik Braisl, Ricardo Gennari, diretor da consultoria Troia Intellgence, concorda que os problemas enfrentados pela Boeing não devem atrapalhar as negociações com a Embraer. 

    "Como elas são empresas independentes, essa fusão entre as duas empresas não afetaria diretamente a Boeing. Em primeiro lugar, o volume da Boeing é muito maior que a Embraer, e isso é uma questão operacional da Boeing. Claro, está afetando ela diretamente, mas o negócio com a Embraer não afeta de forma nenhuma", afirmou. 

    "Não vejo que isso vá afetar a negociação com a Boeing. Eu acho que já esta sacramentada essa compra", acrescentou. 

    Ao comentar as perdas econômicas da empresa norte-americana, Gennari destacou que isto diz mais respeito a questões técnicas da Boeing. 

    "Este é um problema operacional, a Boeing realmente está perdendo dinheiro na bolsa de valores. Ela vai ter que refazer toda esta reconfiguração pra consertar os problemas dos aviões, mas é um problema técnico, de cabine. Então isso não afeta diretamente a negociação da Embraer com a Boeing", observa. 

    O diretor da consultoria Troia Intellgence também lamentou a venda da Embraer para a gigante a norte-americana Boeing. 

    "Eu me sinto triste de ver uma empresa que nós construímos sendo vendida por alguns motivos até econômicos, porque a Embraer vinha atravessando há algum tempo alguns prejuízos, mas isso normalmente é setorial, a gente consegue reverter, porque a Embraer tem um bom produto, por isso o interesse da Boeing", completa. 

    Mais:

    Quedas de Boeing 737 são resultado da pressa e erros de engenheiros americanos, diz piloto
    Rússia fecha seu espaço aéreo aos Boeing 737 MAX
    Europa suspende todos os voos do Boeing 737 MAX no continente
    Boeing 737 MAX que voava a Tel Aviv está regressando a Estocolmo por questão de segurança
    Tags:
    fusão, avião, Boeing 737 MAX, Boeing, Embraer, eua, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar