13:01 22 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Boeing 737 MAX 8

    Após União Europeia e China, Brasil e México decidem proibir voos com Boiengs 737 MAX

    © REUTERS / Joshua Roberts
    Brasil
    URL curta
    2 0 0

    Brasil e México se juntaram a outros 40 países que decidiram banir temporariariamente as aeronaves 737 MAX da Boeing, após acidente na Etiópia que deixou 157 mortos. A queda da aeronave foi a segunda do tipo em menos de 5 meses com o mesmo modelo.

    "Após a queda de dois aviões Boeing 737-8 e devido às semelhanças entre esses dois casos, decidimos suspender o uso comercial do Boeing 737-8 por empresas brasileiras como medida preventiva", disse a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em um comunicado na quarta-feira.

    Decisão semelhante foi divulgada pela Direção Geral da Aeronáutica Civil (DGAC) do México, que introduziu a proibição dos modelos 8 e 9 do Boeing 737 MAX.

    "O Estado mexicano decidiu suspender todas as operações dos aviões Boeing MAX 8 e MAX 9 em voos domésticos e internacionais até o próximo aviso", disse a DGAC em um comunicado, citado pela agência de notícias Financiero.

    Ambas as agências acrescentaram que a proibição permanecerá em vigor até que medidas que garantam a segurança dos 737 MAX tenham sido tomadas. Elas se juntam a outras 40 nações — incluindo todas as 28 integrantes da União Europeia e a China — a tomarem medida semelhante.

    O acidente fatal ocorreu no domingo. O avião caiu logo após decolar de Addis Abeba. Todas as 157 pessoas a bordo do avião da Ethiopian Airlines morreram no acidente, o segundo do tipo envolvendo o mesmo modelo do avião nos últimos cinco meses. No final de outubro, um Boeing 737 MAX 8 da companhia aérea Indonesian Lion Air mergulhou no mar de Java pouco depois da decolagem, matando 189 pessoas.

    No Brasil, apenas a Gol opera Boeings 737 MAX em rotas para os Estados Unidos, América do Sul e Caribe, preferencialmente. A empresa se antecipou à proibição da ANAC e anunciou ainda na segunda-feira que estava suspendendo os voos com o modelo por tempo indeterminado.

    Segundo a Boeing, 350 aeronaves do modelo são operadas por cerca de 50 empresas no mundo.

    Tags:
    Boeing 737 MAX, Direção Geral da Aeronáutica Civil do México (DGAC), Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Addis Abeba, Etiópia, China, Brasil, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar