19:57 25 Maio 2019
Ouvir Rádio
    In this Jan. 22, 2013 file photo, Israeli Prime Minister Benjamin Netanyahu, center, prays with his sons Yair, background, and Avner, right, at the Western Wall, the holiest site where Jews can pray, in Jerusalem's Old City.

    Filho de Netanyahu dá 'calote' em hotel do Rio após visita do pai a Bolsonaro, diz jornal

    © AP Photo / Uriel Sinai
    Brasil
    URL curta
    8133

    Yair Netanyahu, filho do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, deixou uma dívida em um hotel do Rio de Janeiro, onde esteve com o pai na visita que realizou ao Brasil em dezembro do ano passado para a posse do presidente Jair Bolsonaro, de acordo com um jornal de Israel.

    De acordo com o Haaretz, na época o filho de Netanyahu veio acompanhar o pai e a mãe, Sara Netanyahu, e o gabinete do primeiro-ministro garantiu que que todos os custos da viagem seriam pagos "pela família Netanyahu".

    Entretanto, uma dívida de R$ 9.820,66 segue em aberto no Hotel Hilton Copacabana, de acordo com o jornal israelense. O valor inclui a estadia por quatro noites e taxas que envolvem lavanderia, serviços e impostos.

    A reportagem informou ainda que a direção do hotel chegou a apelar para o Itamaraty, a fim de conseguir receber o pagamento da dívida, mas sem sucesso.

    Em nota enviada ao Haaretz, o gabinete de Netanyahu informou que "todas as viagens do filho do primeiro-ministro são pagas integralmente pela família Netanyahu", e que "a família recebeu a conta há alguns dias e pagará, como é habitual".

    Mais:

    Netanyahu chama Brasil de 'novo aliado' devido a plano de Bolsonaro de mudar embaixada
    Netanyahu revela 'promessa' de Bolsonaro de levar embaixada para Jerusalém
    Bolsonaro condecora Netanyahu com Ordem do Cruzeiro do Sul
    Tags:
    judeus, relações bilaterais, diplomacia, viagem oficial, dívida, calote, Haaretz, Sara Netanyahu, Yair Netanyahu, Benjamin Netanyahu, Jair Bolsonaro, Rio de Janeiro, Brasil, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar