10:41 25 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Carne em um dos supermercados moscovitas (foto de arquivo)

    Produtores brasileiros de carne buscam aumentar exportações para Rússia

    © Sputnik / Maksim Blinov
    Brasil
    URL curta
    474

    Com o fim do embargo russo à carne do Brasil, agropecuaristas exportadores estão confiantes com o aumento no volume de vendas. Só em janeiro, os russos compraram mais de 3 mil toneladas de carne bovina, alimentando esperanças de que o comércio volte aos níveis anteriores a novembro de 2017 quando a proibição entrou em vigor.

    A Rússia decidiu impor restrições à carne vinda do Brasil à época devido ao uso de ractopamina, substância proibida em alimentos na Rússia, na União Europeia e na China. O produto é utilizado na alimentação de bovinos e suínos com o objetivo de reduzir a gordura no animal e deixar a carne pronta para o abate.

    O veto um ano depois, em novembro de 2018, mas só agora as vendas começaram a ser retomadas. De acordo com a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), a Rosselkhoznadzor — Serviço Sanitário da Rússia, semelhante à Anvisa — levantou o embargo de apenas 9 plantas, 5 de bovinos e 4 de suínos. Diferença grande das 48 antes de 2017 autorizadas a vender carne para o país. Exportadores de peso continuam com restrições, à exceção da Minerva que mantém criação de bovinos em Palmeira de Goiás.

    Após sanções europeias a Moscou, a Rússia se transformou na maior compradora de carne brasileira no mundo, chegando a importar 400 mil toneladas. A expectativa é que, normalizado o comércio, o país compre 150 mil toneladas em 2019 (ou 10% das exportações de carne previstas para o ano). É o mesmo número vendido em 2017.

    Manifestando-se sobre a questão à Sputnik Brasil, a Abrafrigo explicou em nota que o volume de 3.105 toneladas vendidas em janeiro pode ser considerado o primeiro lote negociado desde o fim das restrições determinado no final do ano passado.

    "Com essa retomada, a ABRAFRIGO estima que as exportações gradativamente voltarão ao normal e poderão se aproximar, neste ano, das 150 mil toneladas [de carne bovina] exportadas em 2017 (…). A previsão é que novas plantas sejam habilitadas no decorrer deste ano e as exportações para a Rússia voltem a normalidade", espera a entidade.

    Intermediadora da questão, a Embaixada do Brasil na Rússia fez votos de que o tema esteja pacificado e as relações comerciais bilaterais entre os dois países se fortaleçam mais uma vez.

    "O governo brasileiro está empenhado em retomar e ampliar os níveis de comércio com a Rússia anteriores a 2017. A relação comercial bilateral com os russos é uma das prioridades da Embaixada do Brasil em Moscou, em especial no que concerne à promoção do agronegócio brasileiro e da diversificação da pauta exportadora", afirmou por meio de nota à Sputnik.

    Tags:
    Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafigo), Embaixada do Brasil na Rússia, Rosselkhoznadzor, Moscou, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar