11:05 15 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Por
    181020
    Nos siga no

    Áudios de Bolsonaro, enviados ao ex-ministro da Secretaria-Geral da República, Gustavo Bebianno, vieram à tona em exclusiva da revista Veja. Em um deles, o presidente da República se refere à Globo como "inimiga", e, em apoio a Jair Bolsonaro, eleitores passaram a se rotular inimigos da emissora em tweets.

    Para refrescar um pouco o que está acontecendo no palco político brasileiro, devemos retornar ao dia 10 de fevereiro, quando a Folha de S. Paulo escreveu que o PSL, partido do presidente do Brasil, criou candidata laranja para uso de verba pública de R$ 400 mil. Na época, quem assumia o cargo de presidente interino do PSL era nada mais nada menos do que Gustavo Bebianno.

    Bebianno no mesmo dia da publicação da matéria tentou entrar em contato com o presidente do Brasil, que decidiu não conversar. Na terça-feira (12), o jornal O Globo entrou em contato com Bebianno, que afirmou que "só hoje [12] falei três vezes com o presidente".

    Um dia depois, Carlos Bolsonaro afirmou no Twitter que Bebianno não falou três vezes coisa nenhuma com o pai dele, pois ele ficou perto do pai o dia inteiro, rotulando a declaração de Gustavo Bebianno como "mentira absoluta".

    A Veja, na terça-feira (19), publicou áudios, comprovando que "se alguém mentiu no episódio, foram o presidente e o filho", como a própria revista escreveu na matéria.

    Em um dos áudios, que foram ouvidos em entrevista de Gustavo Bebianno ao programa da Jovem Pan "Os Pingos nos Is", o presidente do Brasil fala sobre o encontro na agenda do então ministro Gustavo Bebianno com o vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Globo, Paulo Tonet Camargo.

    "Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto? Eu não quero ele aí dentro. Qual é a mensagem que vai dar para as outras emissoras? Que nós estamos nos aproximando da Globo, então, não dá para ter esse tipo de relacionamento. Agora, inimigo passivo, sim, mas trazer o inimigo para dentro de casa é outra história. Você tem que ter esse visão, pelo amor de Deus. Fica complicado a gente ter um relacionamento legal dessa forma, porque você está trazendo o maior cara que me ferrou antes, durante e agora – após a campanha – para dentro de casa. Me desculpe, como presidente da República, cancele e eu não quero esse cara aí dentro e ponto final", disse o presidente do Brasil, jair Bolsonaro, via WhatsApp.

    Em resposta a Jair Bolsonaro, Globo declarou que "não tem nem cultiva inimigos".

    Assim como Bolsonaro, que usou a palavra "inimigo" ao se referir à Globo, muitos dos seus apoiadores entraram na onda e criaram a hashtag que já está no topo dos assuntos mais comentados no Twitter: #EuSouInimigodaGlobo.

    Mesmo depois de ouvir os áudios do presidente da República, há quem diga que "Bolsonaro não mentiu".

    ​Há quem exponha uma realidade que é sentida e escondida por muitos.

    ​Tem apoiador que gosta de Bolsonaro por saber quem o detesta.

    ​Rafinha Bastos entrou na hashtag, usando print do bloqueio de Boninho.

    ​Algo está em crise, mas não é o governo Bolsonaro, internauta publica imagem.

    ​A hashtag em prol de Bolsonaro e contra a Globo atingiu muitos internautas, tornando-se o assunto mais comentado no Brasil nesta quarta-feira (20) no Twitter. A descoberta de candidata laranja, a exoneração de ministro e a repercussão de áudios podem ser apenas o início de uma longa história.

    Mais:

    Sem militares e de olho na economia, Bolsonaro apresenta projeto de Reforma da Previdência
    Bolsonaro assina pacote anticrime de Moro
    Gustavo Bebianno é exonerado do cargo de ministro por Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar