07:50 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Flávio Nantes Bolsonaro, do Partido Social Liberal (PSL), deputado estadual do Rio de Janeiro, em imagem de 15 de dezembro de 2014, na Alerj

    Flávio Bolsonaro recebeu total de R$ 96 mil em 48 depósitos suspeitos, diz Coaf

    Rafael Wallace/ Alerj
    Brasil
    URL curta
    17120
    Nos siga no

    Reportagem divulgada pelo Jornal Nacional nesta sexta-feira (18) revela documento do Conselho de Controle de Atividades Financeiros (Coaf) com depósitos suspeitos para Flávio Bolsonaro (PSL).

    Conforme o documento, 48 depósitos suspeitos somando um total de R$ 96 mil teriam sido feitos na conta de Flávio Bolsonaro em um período de um mês.

    Segundo o relatório, as movimentações entre junho e julho de 2017 são de depósito em espécie na conta do senador.

    Os depósitos, sempre de R$ 2 mil reais, eram feitos de dentro da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Em algumas oportunidades, cerca de 10 depósitos eram feitos em até 5 minutos.

    Não se sabe quem realizou os depósitos, mas que a forma fracionada dos depósitos é suspeita e pode indicar ocultação de origem do dinheiro.

    Caso Queiroz e resposta de Flávio Bolsonaro

    O senador Bolsonaro chegou a pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão da investigação e também que se anule as provas devido ao foro privilegiado adquirido no Senado.

    O senador foi citado em procedimento aberto pelo Ministério Público do Rio de Janeiro contra um de seus ex-assessores, Fabrício Queiroz, que é investigado por movimentações suspeitas de R$ 1,2 milhão ao longo de um ano.

    Em entrevista para a TV Record pouco depois da exibição da reportagem no Jornal Nacional, Flávio Bolsonaro negou que está se escondendo atrás do foro privilegiado, afirmando que é contra o foro.

    Flávio também negou qualquer envolvimento com seu ex-assessor, Fabrício Queiroz, também suspeito por transações financeiras indevidas.

    Tags:
    corrupção, investigação, ALERJ, STF, Coaf, Fabrício José de Queiroz, Flávio Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar