05:59 22 Janeiro 2019
Ouvir Rádio
    O presidente eleito Jair Bolsonaro chega ao Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília

    Bolsonaro aguarda Netanyahu e diz que tecnologia de Israel melhorará o Brasil

    Fotos Públicas / Marcelo Camargo / Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    13311

    O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) usou sua conta no Twitter na noite desta quinta-feira para explicitar o que espera do encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que desembarca no Brasil nesta sexta-feira.

    De acordo com o ex-capitão do Exército Brasileiro, as "expectativas são as melhores" em um "momento inédito" tanto para Brasília quanto Tel Aviv, dada a perspectiva de alinhamento entre os dois governos neste momento.

    Bolsonaro aproveitou ainda para defender o desenvolvimento tecnológico israelense, que poderá ajudar a população brasileira, de acordo com o presidente eleito.

    A defesa se deu após o anúncio de que o futuro ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, irá até Israel para conhecer de perto a tecnologia de dessalinização da água, a qual poderia ser também empregada no Nordeste do Brasil.

    Contudo, o anúncio foi alvo de críticas porque já existe tecnologia nacional para tal processo, desenvolvido pela Embrapa e empregado há alguns anos em regiões de forte seca no Nordeste.

    Diante das queixas, o vereador fluminense Carlos Bolsonaro (PSL) defendeu o pai, destacando que a imprensa teria se focado exclusivamente na questão da dessalinização, desprezando outros possíveis negócios que poderiam ser proveitosos aos dois países.

    Na quarta-feira, a embaixada de Israel no Brasil desmentiu que Netanyahu não permaneceria no país para a posse de Bolsonaro, marcada para 1º de janeiro de 2019. Envolto em investigações de corrupção e disputas políticas, o premiê israelense está sob pressão em seu país.

    A chegada de Netanyahu marca a primeira visita oficial de um primeiro-ministro de Israel ao Brasil desde a fundação do Estado judeu, em 1948. Durante o governo do presidente Michel Temer (MDB), o Brasil acabou "ignorado" por Netanyahu, que visitou a Argentina antes da Assembleia Geral da ONU. À época, a diplomacia israelense alegou que as incertezas na política brasileira impediram que uma vinda dele ao país fosse possível.

    Mais:

    Criticado por jornal cubano, Bolsonaro reage: 'se alimentaram de bilhões dos brasileiros'
    Indústria bélica vai perder se Brasil transferir embaixada para Jerusalém, dizem analistas
    Netanyahu quer distrair o público da corrupção com eleição antecipada, dizem analistas
    Tags:
    água, dessalinização, relações bilaterais, diplomacia, ONU, Michel Temer, Marcos Pontes, Carlos Bolsonaro, Benjamin Netanyahu, Jair Bolsonaro, Rio de Janeiro, Israel, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik