14:26 18 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF)

    Ministro Marco Aurélio Mello determina soltura de presos condenados em 2ª instância

    Marcelo Camargo/ Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    191610

    O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello deferiu uma liminar determinando a soltura de todos os detidos que ainda têm recursos pendentes nos tribunais superiores, decisão que afetaria a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    A medida atende a um pedido do PCdoB e afirma que deve ser respeitado o artigo 283 do Código de Processo Penal, segundo o qual as prisões só podem ser realizadas após o trânsito em julgado. Entretanto, a última vez que o Supremo julgou o tema, em novembro de 2016, foi entendida como possível pelos ministros a prisão após condenação em segunda instância. Um novo julgamento sobre o tema já está marcado para o próximo 10 de abril.

    ​"(…)defiro a liminar para, reconhecendo a harmonia, com a Constituição Federal, do artigo 283 do Código de Processo Penal, determinar a suspensão de execução de pena cuja decisão a encerrá-la ainda não haja transitado em julgado, bem assim a libertação daqueles que tenham sido presos, ante exame de apelação, reservando-se o recolhimento aos casos verdadeiramente enquadráveis no artigo 312 do mencionado diploma processual", disse o ministro na decisão, acrescentando que o ato será submetido ao referendo do plenário para votação quando da reabertura do primeiro semestre judiciário de 2019.

    Pouco depois de saber da decisão, o Partido dos Trabalhadores peticionar a solicitação do alvará de soltura para Lula, declarando inclusive abrir mão do exame de corpo de delito.

    Mais:

    Defesa de Lula: Nova ação penal é 'mais um passo da perseguição' contra ex-presidente
    'Bolsonaro só venceu porque não competiu contra mim', diz Lula em carta à BBC
    Gilmar Mendes pede vista no julgamento do pedido de habeas corpus para Lula
    Querem que Lula morra na prisão, afirma presidente do PT no Senado (VÍDEO)
    Tags:
    soltura, prisão, segunda instância, 2ª instância, Supremo Tribunal Federal (STF), PT, PCdoB, Marco Aurélio Mello, Gleisi Hoffmann, Luiz Inácio Lula da Silva, Lula, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar