09:15 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Marielle Franco, vereadora pelo PSOL, assassinada na noite do dia 14 de março

    Ex-PM suspeito pela morte de Marielle Franco é preso no Rio de Janeiro

    © Foto : Renan Olaz/CMRJ
    Brasil
    URL curta
    432

    Suspeito de envolvimento na morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do seu motorista, o ex-policial militar Renato Nascimento Santos, o Renatinho Problema, foi preso nesta terça-feira em Guapimirim, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro.

    Segundo informações do G1, havia dois mandados de prisão contra o ex-PM, um deles por envolvimento nas mortes de Marielle e de Anderson Gomes, há 9 meses, no Centro do Rio. Renatinho Problema é suspeito ainda de integrar uma milícia.

    A prisão foi feita por policiais da 82ª Delegacia de Polícia de Maricá. É a primeira detenção desde julho deste ano, quando um ex-PM e um ex-bombeiro foram presos, também suspeitos por participação no atentado contra a vereadora e o seu motorista.

    A polícia ainda não informou qual seria a participação de Renatinho Problema no crime. Na quinta-feira passada, agentes da Polícia Civil tentaram cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão em cinco cidades de dois estados, porém ninguém foi detido.

    O vereador Marcello Siciliano (PHS) foi um dos alvos da operação, mas novamente negou qualquer participação no crime.

    Embora sigilosa, a investigação aponta que a vereadora do PSOL teria sido assassinada por milicianos, que estariam incomodados com a atuação dela junto a comunidades na zona oeste do Rio, conforme explicou na semana passada o secretário de Segurança Pública do Rio, general Richard Nunes.

    Entretanto, o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), próximo de Marielle e que também tinha contra si um plano de assassinato que acabou desbaratado pela polícia, afirmou duvidar da tese dos investigadores, pedindo que provas sejam apresentadas.

    Mais:

    Polícia cumpre primeiros mandados de prisão contra suspeitos de assassinar Marielle Franco
    Mídia: Após 9 meses, cúpula da intervenção federal no Rio descobre quem matou Marielle
    Investigação do assassinato de Marielle rompeu 'aliança satânica', diz ministro da Defesa
    Tags:
    violência, assassinato, crime político, milícia, PM, Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Marcelo Freixo, Orlando Curicica, Marcello Siciliano, Renatinho Problema, Renato Nascimento Santos, Richard Nunes, Anderson Gomes, Marielle Franco, Baixada Fluminense, Guapimirim, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar