17:16 09 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Juiz Sérgio Moro

    Moro cria Secretaria de Operações Policiais Integradas e defende construção de presídios

    Fábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    251

    Sérgio Moro, futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública do governo Bolsonaro, anunciou nesta segunda-feira a criação da Secretaria de Operações Policiais Integradas, informou Agência Brasil.

    O novo órgão articulará ações policiais entre o governo federal e os estados. O ex-juíz convidou o delegado da Polícia Federal Rosalvo Ferreira Franco para chefiar a iniciativa. 

    Rosalvo foi o superintendente da Polícia Federal (PF) no Paraná duas vezes, uma das vezes durante o auge da Operação Lava Jato, entre 2013 e 2017.

    "A ideia da secretaria é poder coordenar operações policiais a nível nacional. Hoje nós temos muitos grupos e atividades criminosas que transcendem as fronteiras estaduais e essa ação precisa, muitas vezes, de uma coordenação a nível nacional. Isso já é feito, de certa maneira, dentro do Ministério da Segurança Pública, mas a criação de uma secretaria específica pra isso é de todo oportuno, na nossa avaliação", declarou Sérgio Moro.

    Para dirigir o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Sergio Moro anunciou a indicação do também delegado da Polícia Federal Fabiano Bordignon, atualmente delegado-chefe da PF em Foz do Iguaçu (PR). 

    "É uma função estratégia, nós todos sabemos que os presídios, no Brasil, hoje constituem uma espécie de problema, devido a questão de superlotação e fragilidade de certos presídios", disse Moro. 

    Sergio Moro também defendeu a construção de mais presídios em menor tempo.


    Mais:

    Estratégia de Moro está certa ao priorizar combater lavagem de dinheiro, aponta advogado
    Licença para matar e MST fora da lei: Bolsonaro e Moro podem entrar em rota de colisão?
    'Houve quem reclamasse', Moro pede exoneração do cargo de juiz
    O não-político em Brasília: o que Moro no Ministério da Justiça significa para a Lava Jato
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik