01:57 12 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Desmatamaento da Amazônia (foto de arquivo)

    Desmatamento na Amazônia bate recorde pelas mãos de madeireiros e do agronegócio

    © AP Photo / Andre Penner
    Brasil
    URL curta
    1028

    A destruição da floresta amazônica no Brasil atingiu seu nível mais alto em uma década neste ano, de acordo com dados do governo divulgados na sexta-feira, devido à extração ilegal de madeira e à invasão da agricultura.

    Imagens de satélite de 12 meses até o final de julho de 2018 mostraram que 7.900 quilômetros quadrados de floresta foram explorados na Amazônia, o equivalente a mais da metade do território da Jamaica. O total representa um aumento de 13,7% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    O desmatamento é um fator chave por trás do aquecimento global, já que equivale a cerca de 15% das emissões anuais de gases retentores de calor, ou o mesmo que o setor de transporte.

    Um relatório do governo dos EUA descobriu que a mudança climática custará à economia do país centenas de bilhões de dólares até o final do século.

    O ministro do Meio Ambiente do Brasil, Edson Duarte, disse em um comunicado que a extração ilegal de madeira é o principal fator por trás do aumento do desmatamento e pediu ao governo para aumentar o policiamento da floresta.

    O Observatório do Clima do Brasil, uma rede de organizações não-governamentais, disse em comunicado separado que o aumento não foi uma surpresa. Além da extração ilegal de madeira, ele disse que o setor de matérias-primas em crescimento no Brasil está contribuindo para a destruição das florestas porque os agricultores estavam tentando se expandir.

    Marcio Astrini, do escritório do Greenpeace no Brasil, declarou que o governo não fez o suficiente para combater o desmatamento e que mudanças políticas recentes, como a redução de áreas sob proteção federal, contribuíram para o cenário atual.

    Mais:

    O Brasil tem poder de fogo para proteger a riqueza da Amazônia Azul? (FOTO, VÍDEO)
    Mensagem alienígena? Brasil tomba inscrições milenares na Amazônia
    Calor das eleições pode ter contribuído para aumento das queimadas e tensões na Amazônia
    Tags:
    madeireiros, agronegócio, meio ambiente, desmatamento, Observatório do Clima do Brasil, Greenpeace, Márcio Astrini, Edson Duarte, Amazônia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik