05:25 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Marielle Franco, vereadora pelo PSOL, assassinada na noite do dia 14 de março

    Milicianos participaram da morte de Marielle, diz secretário de Segurança do RJ

    © Foto : Mário Vasconcellos/CMRJ
    Brasil
    URL curta
    221

    O secretário de Segurança do Rio de Janeiro, general Richard Nunes, afirmou nesta quarta-feira (21) que "com toda certeza" grupos milicianos estão envolvidos no assassinato da vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes.

    "Não é um crime de ódio, falei isso logo na primeira entrevista que dei em março. É um crime que tem a ver com a atuação política, contrariedade de determinados interesses. E a milícia, com toda certeza, senão estava no mando do crime em si, está na execução", disse Nunes em entrevista à GloboNews.

    Ministro da Defesa, Raul Jungmann, visita o sistema integrado de sensoriamento (Sisfron) próximo à fronteira com o Paraguai (foto de arquivo)
    © Foto : Agência Brasil/Valter Campanato
    O general também afirmou que "provavelmente" há políticos envolvidos no episódio. 

    Marielle foi morta no Rio de Janeiro no dia 14 de março. Mais de 8 meses após o crime, ainda não se sabe quem foram os assassinos e os mandantes.

    Nunes disse que pretende reunir "provas cabais" para que os responsáveis sejam considerados culpados na Justiça e que pretende elucidar o caso até o fim da intervenção federal no Rio. 

    Mais:

    8 meses sem resposta: Brasil mata Marielle mais 1 vez ao não desvendar crime, diz Anistia
    Caso Marielle terá 'investigação da investigação'
    Samba enredo da Mangueira para 2019 homenageia Marielle
    Assessor de Trump, Bolton terá encontro com Bolsonaro no Rio
    Tags:
    Richard Nunes, Marielle Franco
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik